quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Batalha Espiritual e a paranoia dos "ex"



Estou bem atarefado com alguns trabalhos, mas não deixaria de compartilhar alguns pensamentos. É sobre a demonização... outra vez!
É difícil aturar esse povo falando mais do Diabo do que da Salvação, mais de legalidade que alguém supostamente possa abrir para a atuação do mal, do que da graça e misericórdia de Deus. Chega gente, já deu essa palhaçada!

A batalha espiritual é um assunto importante demais pra cair nessa infantilidade. A Bíblia é clara quanto a realidade desse assunto e tem prescrições bem específicas, e nada que vejo nas Escrituras passa perto do que andam ensinando.

Virou clichê essa história de "ex-bruxo" 'converter' e descrever como são as coisas por lá, trazendo-as como se funcionasse assim na vida de um crente, lavado e remido pelo Sangue de Jesus. Tenha dó, Jacó!

E como o brasileiro é místico... fica vidrado, interioriza  uma pá de idiotices e busca sempre mais da vertente. Já fizeram uma pesquisa do quanto essa literatura vende? Não? Eu já! Geralmente, livros que escritos por "ex-bruxo", vendem muito mais do que devocionais, comentários bíblicos ou de estudo dirigido. Vendem até mais do que material para Escola Bíblica. O resultado é facilmente percebido... cristianismo frágil e desprovido de real conhecimento de Deus, Suas Obras e Atributos.

Vou exemplificar o grau de loucura desse povo, transcrevendo um e-mail que acabei de receber:
"Conversando com uma professora da faculdade que trabalho, olha só a proposta de trabalho que um aluno queria apresentar no final do curso de Computação:
desenvolver um robô, microscópico, para ser colocado no corpo humano, e identificar quais pessoas teriam o número 666 no DNA...

tem cada maluco nesse mundo!
felizmente essa minha colega conseguiu convencer o aluno a mudar de ideia."


Perceberam o grau de insanidade que alguém bem instruído pode chegar, se crente nessas ideias?

O problema de quem lê constantemente ex-satanista, ex-bruxo e ex-tudo quanto há nesse ramo, é exemplificado em uma série de evidências observadas que podem ser resumidas em uma só expressão, vejamos:
*Ficam supersticiosos;
*Vêem Diabo em tudo;
*São sincretizadores;
*Sofrem surtos paranoicos coletivos (histeria);
*Baseiam-se em escritos extra bíblicos ou bíblicos, porém fora do contexto;
*Geralmente, sensores da espiritualidade alheia;

Enfim, a leitura de ex-satanista tem produzido uma horda de crentes medrosos onde tudo dá vantagem ao Diabo, onde são esquecidas passagens como, "E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai." (João 10:28-29); "Que mediante a fé estais guardados na virtude de Deus para a salvação, já prestes para se revelar no último tempo[...]Alcançando o fim da vossa fé, a salvação das vossas almas." (1 Pedro 1:5, 9); "Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles." (Hebreus 7:25); "Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. [...] Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor."  (Romanos 8:33-34, 38-39); "E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós." (João 14:16-17); "E farei com eles uma aliança eterna de não me desviar de fazer-lhes o bem; e porei o meu temor nos seus corações, para que nunca se apartem de mim." (Jeremias 32:40); "Mas fiel é o Senhor, que vos confirmará, e guardará do maligno." (2 Tessalonicenses 3:3); "E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão." (João 10:28); "Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca." (1 João 5:18).
Resumindo: EMBURRECEM!

Quer ler algo bom sobre batalha espiritual?
Leia "O que você precisa saber sobre Batalha Espiritual"

Deus os abençoe!


Galinha pintadinha é do diabo

Ui, Maldição hereditária 

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Vacilão - O Banana

O indivíduo que, sendo líder, adotar um sistema onde evite tomar decisões difíceis, fuja de suas responsabilidades mais básicas e não confronta erros para manter a popularidade inalterada, prepara a própria cova!

Infelizmente, pra ele e felizmente para os vitimados por um sistema como esse, sempre haverá um momento onde todos estarão saturados. 
E não admitindo seus erros, a melhor alternativa que esse tipo de líder tem é fingir que nada houve e desviar-se de quem possa inquirí-lo!

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

"Galinha Pintadinha é do diabo!"


Pronto, estava demorando.... demonizaram a Galinha Pintadinha!
Por todo lado onde vi menção de Galinha Pintadinha como algo satânico, vi um site ou blog de demonizadores contumazes, crentes em teoria de conspiração, Nova Ordem Mundial, caçadores de chifres em "cabeça" de minhoca e coisas do tipo. Por que será, heim?
O que mais acho engraçado e trágico ao mesmo tempo é que não se discute produtos infantis com "selo gospel". Não se discute "produto gospel", tem o "selo", tem tudo! Isso é ridículo!

Quero trazer algumas considerações e questionamentos referentes ao que nunca é demonizado, o "produto gospel".  Para tanto, observarei apenas um aspecto da grande bolha gospel, a música.
Qualquer cristão zeloso e amante da Palavra de Deus, sabe perfeitamente como as composições do meio gospel estão miseravelmente pobres, desprovidas de beleza, antropocêntricas e sinceramente e muitas vezes parecem hits de academia. Frases como: "para a direita, para esquerda...", "livre pra correr...", "pulo, pulo, pulo...", "eu vou Ziguezagueando" deixam muito claro a situação deplorável em que a "cultura gospel" chegou. Ninguém demoniza isso, afinal, o número dos que correm, pulam e ziguezagueam é infinitamente maior e estão na moda, a "moda gospel"
Sei que nesse ponto há alguém detestando ler isso. Talvez tenha exagerado e tocado em alguns de seu "TOP 10" e olha que nem falei dos "mantras gospel", repetindo, repetindo ou das canções que tratam Jesus como namoradinho. Nem me venha com a questão da licença poética. Não há licença que reduza Jesus a um namoradinho e permaneça inquestionável!
Pensemos um pouco na "Linha Infantil", eu tenho algumas coisas aqui em casa, coisas de qualidade com mensagens claras do Evangelho e/ou que fala do cotidiano infantil, mas queridos, já vi muita tranqueira coisa com frases  ou vocalizações nonsense, porém , que os pequenos amam.  Até pra adultos o gospel tem suas vocalizações sem sentido repetidas por 4 compassos inteiros enquanto o povo fica esperando o hit acabar! Qual é o sentido, o propósito, a mensagem, por quê não demonizam isso???

Na esperança de trazer algo além de histeria, transcrevo o artigo do Neurologista Leandro Teles, que explica a estratégia neurolinguística usada pela galera de marketing, igual em todas as faixas etárias e que se concentra num determinado público alvo:

Lápis e caneta na mão e vamos à receita da A Galinha Pintadinha. Ingredientes: uma galinha azul, pintadinha é claro; algumas cantigas de roda, universalmente conhecidas; alguns desenhos coloridos.  Misture tudo, coloque no youtube e nas prateleiras. Pronto!! É só esperar e colher os frutos dos 300 milhões de acessos, milhares de CD´s e DVD´s vendidos, casas de show lotadas, etc…
Parece bem simples, mas não é possível que seja só isso… Quem já viu o encontro entre essa mídia infantil e seu público alvo (crianças de 0 a 5 anos) deve ser ficado com a pulga atrás da orelha. Os pequeninos ficam fascinados, paralisados, mudam o comportamento e parecem estar hipnotizados. A música, os traços, as cores, não tem nada de realmente diferente e novo nisso. Qual serão então os ingredientes secretos dessa receita?
Segundo o neurologista Leandro Teles: “O verdadeiro pulo do gato, ou da galinha, é ter sido feita sob medida para o cérebro infantil. Cumpre perfeitamente duas missões: Primeira: chamar atenção da criança, tarefa essa não muito difícil, convenhamos. Segunda: sustentar essa atenção, por minutos e até horas, isso sim não é para qualquer um”.
Convidamos o especialista para comentar alguns aspectos sobre a percepção infantil e os detalhes técnicos dessa produção de grande sucesso:
Dividiremos a análise na parte visual e parte sonora.
Parte Visual
Criança pequenas são ávidas por estímulos visuais, adoram objetos coloridos e movimentos. Gostam do simples, traços diretos e grosseiros. As cores vivas devem apresentar contraste, cada objeto tem uma cor completamente diferente e destoa do resto, nada precisa combinar, precisa saltar aos olhos.  Os personagens são apresentados no centro da mídia, movimentam-se em bloco, são pouco articulados, de expressão estática, isso evita que a complexidade tire o foco da criança.
Ainda sobre os personagens, esses não são desenhados ao acaso. Independente se são ET´s, dinossauros, humanos ou animais, eles geralmente têm a cabeça desproporcionalmente grande em relação ao corpo, assim como olhos desproporcionalmente grandes em relação a cabeça. Outra boa sacada da percepção infantil. As crianças se afeiçoam precoce e intensamente a face, tendo os olhos como primeiro ponto de reconhecimento do outro. Os bebês mamam em posição apropriada para fitar os olhos da mãe, comportamento ausente em outros mamíferos. Os produtores abusam de faces e olhos, colocando rosto com expressões “humanas” em animais e mesmo em coisas inanimadas, como o Sol (quem não se lembra do solzinho dos Teletubbies com cara de bebê), a Lua, estrelas, coração, etc… “Existe uma região cerebral especializada apenas em percepção e reconhecimento de faces”, explica o neurologista.
Alguns padrões visuais regulares e ritmados surgem eventualmente, como traços radiais partindo do centro, arco-íris com oscilação, círculos concêntricos, etc…, mais uma jogada para garantir o canal de atenção sustentada.
Parte Sonora
A sonorização dos vídeos também é peculiar e nada aleatória. Apresentam-se canções de melodia forte, marcante, simples e principalmente repetitiva. A harmonia cíclica funciona como um pêndulo de hipnose. É muito facilmente aprendida e gruda no cérebro de crianças e mesmo de adultos. O timbre vocal é específico de canções infantis.
Junção entre imagem e som
aqui talvez o grande trunfo da produção. A canção e a animação são expostas sincronicamente. A animação pulsa conforme a música, os personagens oscilam no tempo da melodia. Para complementar tem até uma bolinha que pula ritmada sobre a letra da música, dando ainda mais balanço e integrando definitivamente som e vídeo. “Isso gera entradas paralelas e complementares tanto em regiões cerebrais auditivas, mais laterais, como em regiões visuais, posteriores, exigindo um engajamento cerebral para unificá-los”, atenta o especialista.
Como podemos ver, existem mais ingredientes secretos do que nossa superficial avaliação poderia imaginar, e deve haver muito mais. Mas para encerrar, será que a exposição intensa à Galinha Pintadinha pode fazer mal a nossas crianças?
“Realmente não vejo problema nenhum com esse tipo de exposição, acho até um estímulo interessante e uma oportunidade para integração social, atividade física e musicalização precoce” conclui o neurologista, mas resalta: “o problema nasce com uso inadequado, excessivo e sem integração com os pais, familiares ou outras crianças, entrando na rotina em detrimento de outras atividades mais apropriadas”.

Sobre a "Pintadinha" , concluo repetindo uma das frases do meu irmão, um recém convertido a Cristo e avesso ao movimento da moda: "Max,  a 'gospelândia' perdeu a linha!"


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

O pastor perdeu o foco... a agora?

Realmente é muito bom para uma congregação saber que seu pastor está focado no Reino de Deus, na pregação fiel das Escrituras e com uma vida de contrição. 
Pastor focado em Deus é rápido em rechaçar o pecado, trazendo o impenitente às responsabilidades e conclamando-o ao arrependimento, ainda que seja preciso o uso da disciplina eclesiástica. Pastor focado é preocupado com o pastoreio e sente as dores dos desassistidos, chora diante de Deus pelas ovelhas rebeldes, fica triste pelo pecado alheio, ainda que seja de alguém que lhe deseja o mal e ora fervorosamente por sua restauração. Pastor focado em seu chamado cumpre cabalmente seu Ministério.

Mas infelizmente, percebemos que há, para tristeza nossa, pastores que são totalmente opostos, ao supracitado, destes me poupo, por ora. Porém, meu maior lamento é quanto aos que começaram muito bem, com vontade de servir a Deus, focado nas necessidades de suas ovelhas e por algum motivo se distraíram, pendendo-se no caminho e levando consigo congregações inteiras ao esfriamento e morte. Quando observo tais casos, me ponho a pensar o que teria causado tão grande desastre, o que faria o "sal perder o sabor" ou qual motivo justificaria que se coloque uma "lamparina sob a cama".
Vario motivos aparecem:
*Esfriamento;
*Perda do zelo;
*Cansaço;
*Apego ao Status (quando em igreja grande, central municipal ou de grande centro urbano);
*Politicagem;
*"Amor" ao salário;
*Super valorização de títulos (Pós, Mestrados, Doutorados e afins, esquecendo que são apenas ferramentas para o Ministério Sagrado e não o fim em si);
 Quanto mais penso sobre, mais a lista cresce, bom parar por aqui!

A questão aqui é o malefício à igreja. Sim, quando um pastor perde o foco, a igreja sofre.
Certa vez, vi uma congregação sofrer devido uma aventura sexual de seu líder. Há mais de uma década, ainda no meu estado, o Rio de Janeiro,  acompanhei de perto o caso de um pastor que dividiu a igreja para literalmente, ganhar sozinho. Sei de casos em que "pastores" mais antigos e politicamente influentes ameaçam recém-formados para que entrassem em seus "esquemas".  Conheço uma comunidade que mesmo tendo em suas fileiras pessoas sérias, zelosas na fé e prática, encontra-se moribunda, com questões que se arrastam por anos sem resolução, sob a irresponsabilidade e omissão de alguém que saiu do rumo. 

Sei que é muito triste falar de coisas como essas, mas me ponho no lugar de quem precisa ser pastoreado, cuidado e que não pode ser vitimado por tal sandice. Quão avassaladoras são as afirmações que encontramos em Ezequiel 34, não acham?

O que a ovelha desassistida pode fazer?
Não é fácil agir quando o faltoso é justamente quem deveria ser exemplo. Porém, é fácil agir dentro dos padrões de piedade, seriedade e cuidado que a situação exige.
Quando falamos de crente de verdade, o que se espera que o pastor seja, não haverá dificuldade dele reconhecer sua falta quando arguido. A ovelha precisa ter em mente que a questão não é o faltoso, mas a falta, "o bebê lavado fica limpo e cheiroso, mas, água suja, essa precisa ser descartada. Ninguém joga um bebê no lixo por estar com a fralda cheia!" Creio que o pastor que admite sua falta, arrepende-se e pede perdão, é curado por Deus (Salmo 32.5-6), transmite graça e a mensagem correta de que não existem super-crentes, sendo a vigilância um resguardo.
Entretanto, há "pastores" que cercam-se com névoa de superioridade e não podem admitir publicamente suas falhas. Esses, quando confrontados em seu delitos, são capazes de inclusive, fabricar ocasiões que lancem as atenções pra bem longe de si. Há também, líderes que entendem o confronto como algo pessoal, buscará desqualificar o denunciante por não conseguir ir contra os fatos alegados, além de uma grande prova de imaturidade, aponta o despreparo para administrar conflitos.

Tendo conversado, confrontado amorosamente, porém sem qualquer mudança o disposição que leve a entender que algo será feito, nesse caso meu irmão, sugiro dois caminhos:
1 - Procure um lugar onde há pastoreio de fato. Não sofra por falta de cuidado!;
2 - Permaneça, cale-se e ore muuuito. Coloque o líder diante de Deus em oração, peça a Deus que tenha misericórdia da igreja. Algo acontecerá! O líder pode ser transformado ou substituído, Deus fará o melhor!

Se você, assim como eu, é verdadeiramente pastoreado ou mentoreado, glorifico a Deus por seus líderes e forma como sua igreja provavelmente viceja. Porém, conclamo a todos, pastoreados ou não, que juntamente orem para que, em detrimento dos "lobos disfarçados", o Senhor cuide do Seu Povo.

UM LÍDER QUE NÃO CONFRONTA NÃO É LÍDER

"Aqueles que vêem o conflito como pecado se concentram na dor emocional gerada pelo conflito. Com medo de ferir os outros, o conflito é evitado bem como o pecado. As pessoas ficam extremamente relutantes em confrontar, repreender, discordar ou ofender. São como corredores que chegam diante de um obstáculo e param, esperando que o obstáculo desapareça, ou dão a volta, em lugar de saltá-lo, prejudicando todos os outros corredores no processo. Conflitos não resolvidos não desaparecem. Tornam-se causa de mais divisão e resultam em sofrimento mais profundo." (Jim Van Yperen, Líderes em Ação)

Postado originalmente em: 
http://www.institutojetro.com/conselho-de-jetro/um-lider-que-nao-confronta-nao-e-lider/

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

CONFISSÃO DE FÉ DE WESTMINSTER

DA ESCRITURA SAGRADA

I. Ainda que a luz da natureza e as obras da criação e da providência manifestam de tal modo a vontade, a sabedoria e o poder de Deus, que os homens ficam inescusáveis, todavia não são suficientes para dar aquele conhecimento de Deus e de sua vontade, necessário à salvação; por isso foi o Senhor servido, em diversos tempos e... Leia na íntegra no "Pensamentos de Westminster".

Novidade no blog: "NEOLOGISMO GOSPEL"


Inauguro hoje mais uma opção no cardápio do blog, chama-se "NEOLOGISMO GOSPEL".
Antes, porém, compartilho a definição de neologismo publicado no site SIGNIFICADOS:

Neologismo é o processo de criação de uma nova palavra na língua devido à necessidade de designar novos objetos ou novos conceitos ligados às diversas àreas: tecnologia, arte, economia, esportes, etc.
Um neologismo é criado através de processos diversos como: justaposição, aglutinação, prefixação, sufixação, abreviação, importação de vocábulos existentes em uma outra língua ou ainda, através de um novo sentido dado a uma palavra já existente.
Faz parte de toda língua viva a criação de novas palavras. Com o tempo, esses neologismos são adicionados ao dicionário e passam a fazer parte do léxico.
O "neologismo popular" é criado pelos próprios falantes, seja nas conversas espontâneas do dia-a-dia, com o uso frequente de gírias, seja na Internet, nas comunicações eletrônicas (chat).
Quando a ciência é responsável pela atribuição de nomes aos novos aparelhos e máquinas inventados, e de introduzir novos termos técnicos na linguagem, dá-se o nome de "neologismo científico" ou "neologismo técnico".
O "neologismo literário" é a criação de novas palavras por escritores, compositores de música e poetas.
"Neologismo estrangeiro" ou "estrangeirismo" são as palavras de outro idioma incorporadas à língua. Algumas são "aportuguesadas", ou seja, muda-se a maneira de escrever original para ser compreendida por todos. Exemplo: futebol (do inglês football), bebê (do inglês baby).
Um neologismo pode também ser classificado de "neologismo completo" (criado de acordo com a forma e o sentido da palavra, por exemplo, microfone) e de "neologismo incompleto" (palavras já existentes no idioma e que tomam novos significados, por exemplo, papudo).
Pegando carona na definição supra citada, digo:
Neologismo Gospel é o processo de criação de uma nova palavra devido à necessidade de designar novos usos para objetos, novos conceitos teológico e novas práticas ligados à bizarrice gospel, assim como, oriundos do crentês (Olha o primeiro aí!).

Crentês: Deriva de crente; popularmente ligado ao nicho cristão evangélico, mais usado para designar dialeto gospel.
  

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Reformados e Reformando

"E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (Romanos 12.2)

A população brasileira deu no início do semestre uma demonstração de sua indignação, pleiteando as mais diversas pautas. Algumas vitórias foram alcançadas, outras porém, necessitam de mais empenho e tempo. Digo tempo pelo seguinte fato: ao clamar por justiça, por reformas e o fim da corrupção, a maioria não se deu conta que o grande problema não são os que governam, mas a própria população, o indivíduo é corrupto. A conseqüência é percebida quando de forma inconsciente, o indivíduo, leva sua corrupção a quaisquer coisa que faça. Recebendo troco errado, fica com o excedente, traem, mentem, mantém ligações clandestinas de água, luz, telefone, internet, tv, a lista é interminável! Porém, mesmo assim, se acha no direito de pedir mudanças nas estruturas de governo, quando melhor seria mudar a si.

Algumas vezes, acontece também com alguns irmãos nos arraias de Cristo, o culto não segue da forma que lhe agrada, o instrumento "tal" o incomoda, o repertório é brega ou pop em demasia, acha que um determinado assunto poderia ser mais focado nas pregações, o encontro do grupo pequeno não o satisfaz, pensa que deveria haver mais oração, mais leitura bíblica, enfim, uma NOVA REFORMA.
É possível que haja legitimidade em alguma alegação, ou quem sabe, em todas. Porém, não podemos ignorar a orientação bíblica "transformais-vos pela renovação da vossa mente". Creio que aponta sim, para o inconformismo diante de uma situação desconfortável, mas também, traça o caminho da resolução. A REFORMA COMEÇA EM NÓS! 


Se desejamos que a igreja ore mais, trabalhe mais, receba melhor, seja mais amável, haja mais comunhão, seja mais consagrada e santa, mesmo sendo bom e legítimo o nosso desejo, talvez tenhamos nos esquecido de um detalhe importantíssimo, NÓS SOMOS A IGREJA!
Que o Espírito Santo gere em nós e partindo de nós, a REFORMA que desejamos!




quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Deixe o pastor roubar, ele é "ungido"!

"O meu povo está sendo destruído porque lhe falta o conhecimento. Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei dos teus filhos. Quanto mais eles se multiplicaram tanto mais contra mim pecaram: eu mudarei a sua honra em vergonha." (Os. 4.6-7).



Aqui na Igreja Presbiteriana em Jardim Camburi, nossa Escola Bíblica Dominical é dividida por assuntos, e no último trimestre, enquanto fui aluno na classe para auxiliares de grupos pequenos pela manhã e lecionei uma classe de interpretação bíblica no período vespertino. Por quê digo isso? Na última semana, falamos sobre interpretações tendenciosas que visam esconder o erro para de baixo do tapete ungido, legitimando práticas espúrias, condenadas pela Bíblia.
Pois é, também na última semana um pregador famoso, que na mesma semana perdeu o rumo quando um dos participantes do programa de tv em que estavam, falou que as igrejas que mais crescem, são as que pregam prosperidade e que geralmente pastores de prosperidade são ricos. esse mesmo indivíduo "brilhou" afirmando que pastor ladrão não deve ser denunciado ou redarguido, pois é ungido.... tem campo de força! Nesse sentido, a imunidade parlamentar é coisa de criança, uma vez que a imunidade do suposto ungido é resguardada por deus (minúsculo mesmo, porque Deus, o Todo-Poderoso nada tem com isso). Segundo o pastor "mala" ("Mala" no estado de Goiás significa bandido, sujeito espertinho, ladrão, o que no Rio chamamos de "Rato" ou "Ganso") qualquer um que se diga pastor, tem imunidade celestial. "Pode isso Arnaldo?"


O mesmo "pastor" falou pelos cotovelos quando a Revista Forbs, segundo ele, mentiu ao divulgar seu patrimônio. Disse que iria processar, fez um baita rebuliço... a pergunta que faço é: Se a Forbs foi processada, por quê não há divulgação de nada? Me admira muito que o contraditório pregador de prosperidade, conhecido por arranjar briga com quaisquer que discorde de seu procedimento, mesmo adorando as mágicas luzes da ribalta, não tenha vindo a público dizer que a justiça deu ganho de causa a ele, forçando a revista à retratação, com direito de resposta e passar por mentirosa frente mídia mundial. 


Isso é mais uma das inúmeras bizarrices que aparecem todos os dias. E só é possível  pelo fato da maioria da cristandade ser preguiçosa, não lê Bíblia, permitindo que "medalhões do mundo gospel" tirem textos dos contextos e ensinem absurdos como este!
Sem querer, Davi deu à ladroagem algo que, se tirado do seu contexto, vira muleta para mutreta, picaretagem e por aí vai... tudo resguardado pela  "teologia da vingança"... é irmão, "vingança"... quem denuncia "ungido" morre! Rrsrsrsrsrsrsrs... só eu faço isso há mais de três anos, só aqui no blog... será que sou um zumbi?

Sinceramente?
Posso estar completamente errado, mas isso cheira ao que chamo "advogar em causa própria".

Que o Senhor avive a igreja brasileira de tal forma que pústulas como esta sejam tratadas curadas ou arrancadas do meio dela, para a glória de Deus Pai e preservação dos que até aqui foram engodados! 

Gratidão dos 35.

Passando para agradecer aos deixaram um recadinho de aniversário.
Fiquei muito feliz em ter recebidos todos eles. Alguns, sinceramente foram inesperados. Foi muito bom saber que deixei pessoas saudosas em todos os campos por onde a Graça de Deus me permitiu servir. A vocês, o meu abraço. É igualmente bom saber que Deus me usa também aqui. Vê aqueles que me foram confiados crescendo em santidade e intimidade com Deus, só me dá mais vontade de acordar no dia seguinte e fazer outra, outra e mais uma vez, até findar os meus dias.
Não há palavras que possam expressar a alegria que tenho pelo grande presente que minha família é. Desde os parentes mais longínquos, até o meu ninho, percebo o cuidado de Deus em cada detalhe.

Esse ano tem sido muito especial, alguns desafios bem maiores que eu e minha capacidade, me forçam a prosseguir com mais afinco ainda, o cuidado e atenção em "MODE ON TURBINADO" não me permitem devagar. Desenvolvo minhas aptidões ao passo que descubro outras. Enfim, sou equipado!

Como não ser grato a Deus, por tão grande presente?
Enfim, 35 anos.... em nada pesados!


quinta-feira, 25 de abril de 2013

Levitas?



Texto de Giancarlo Marx, publicado originalmente em Genizah.com/2009/09/levitas.html

Como alguns ja sabem, eu sou músico, e atuo com música na igreja há alguns anos. Pra terem uma idéia, aos 7 anos mais ou menos (quando comecei a "violar o tocão") no meio do culto pedia pro meu pai abrir espaço pra eu sentar no palco e tocar uma das duas canções que eu conhecia: "Meu Barco é Pequeno", ou então "Quando Estou com o Povo de Deus", verdadeiros clássicos do cancioneiro cristão (rs).

Vinte e dois anos se passaram desde o garotinho com duas músicas no repertório, nesse tempo eu vi e ouvi muita coisa. Desde a superproduzida galera do Salt, passando pelos "corinhos" singelos e desafinados da Romilda. O som adolescente do Rebanhão, o rock rebelde do Brother Simion. Até chegarem os importados Maranata! e Hosana! (pra quem não conhece, eram dois selos americanos rivais, o avós do Hillsong e do LifeHouse).

Talvez uma das mudanças mais destrutivas que vi nesse período tenha sido a transformação do serviço de música em "Ministério Levítico". Há até o absurdo de um projeto para um programa estilo "Ídolos" que se chamaria "Levitas". Felizmente o projeto não saiu do papel (ainda).

Primeiramente o que é um levita? Trata-se de uma famíla, uma das 12 tribos de Israel, que era destinada a TODO serviço no tabernáculo, e mais tarde no templo. Eles eram músicos. Mas também eram porteiros, faxinheiros, sacerdotes.

Acender o menorá, trocar os pães da preposição, a água da bacia, isso era função do levita. Também eram carregadores. Somente eles eram autorizados a carregar a arca da aliança e as partes do tabernáculo, que eles mesmos montavam e desmontavam sempre que a nuvem ou a coluna de fogo estacionassem em algum ponto do deserto.

Então a música era apenas uma dentre tantas funções dos levitas. Curiosamente o livro de "Levítico" não tem nenhuma canção.

Nesse ponto alguns chegam a pensar: "Então todo mundo que trabalha na igreja deveria ser chamado de levita"... Ao que caberia a resposta: "Se essa igreja não fosse cristã, pode até ser".

Isso porque Jesus, o fundador da SUA igreja, não era levita. Ele era da tribo de Judá, certo? Logo aqueles que foram gerados nele não são gerados pela linhagem de Levi. Isso dá um nó na cabeça.

No capítulo 7 do livro de Hebreus há uma excelente explanação sobre o tema. Sobre Jesus, Paulo afirma que ele é "sacerdote eternamente segundo a ordem de Melquisedeque".

"De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?"

Então Jesus e nenhum de seus seguidores são feitos levitas. (nem mesmo os músicos... rs)

O que nos leva a outro ponto ainda mais delicado. Vejo muita gente falando em "Ministério de Música" ou o pior ainda "Ministério de Louvor e Adoração". Oras, se é de fato um ministério de Louvor e Adoração, podemos definir o que é Louvor e Adoração?

Tecnicamente falando, ja ouvi o Gerson Ortega definir (em linhas gerais) Louvor como exaltação, e adoração como Gratidão. Gostei demais. Mas parece que ele esqueceu de botar a música na parada. Sim, pois os "ministérios de louvor e adoração" que conheço são todos de músicos.

Num outro artigo meu publicado aqui cheguei a definir adoração em espírito e em verdade. Se você der uma olhadinha la vai perceber que essas coisas não são do tipo que podemos confiar que outros façam pela gente. Louvar e adorar não são "ministérios", mas sim atitude daqueles que conhecem o amor de Deus.

Também não gosto de chamar as músicas cristãs de "louvores". Afinal, a canção pode se tornar louvor de acordo com o coração de quem canta. Ou pode se tornar vergonha para Deus, se for entoada em glória própria. Logo uma música também não é louvor, tanto quanto um prato não é comida e um copo não é bebida. A música é apenas um dos possíveis recipientes do louvor, que pode ser expresso das mais diversas formas. Até mesmo lavando os pés do mestre com suas lágrimas e os enxugando com seus cabelos. Quem diria que uma higienização tão peculiar poderia ser uma manifestação de louvor?

Se para você (assim como para mim) parece que ao chamarmos os músicos cristãos apenas de "músicos", e as músicas cristãs apenas de "músicas" estaremos rebaixando-as de categoria, então aparentemente estamos no caminho certo.


"Porquanto qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado." Lucas 14:11


Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/2009/09/levitas.html#ixzz2RUcl3ics
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike

terça-feira, 9 de abril de 2013

Daniela Mercury, muitíssimo obrigado!


 Texto de Ageu Magalhães, publicado com permissão do mesmo. Obrigado meu irmão!


Na semana passada a cantora Daniela Mercury atraiu a atenção da imprensa, que é, digamos, bem simpática ao homossexualismo, ao publicar fotos de seu namoro com uma mulher. O que achei muito interessante (e por isso meu agradecimento no título do post) foi que Daniela, sem querer, mostrou que homossexualismo não é predeterminação genética, mas opção de comportamento. Explico melhor: Daniela casou-se aos 19 anos de idade com um homem e, com ele, teve dois filhos. Ficou casada com este homem durante 12 anos. Tempos depois, casou-se com outro homem, nove anos mais novo que ela, com quem ficou casada por 3 anos.

A questão é: Se Daniela Mercury nasceu homossexual, por que insistiu tanto na heterossexualidade, vivendo durante 15 anos com homens? Teria ela agido contra a própria natureza, violentando seus desejos homossexuais e submetendo-se a uma união infeliz? Certamente não.

Quando olhamos para o homossexualismo do ponto de vista bíblico entendemos melhor o que acontece. Homossexualismo é prática pecaminosa. E para aderir a uma prática pecaminosa, não é necessário ter propensão genética. Basta ter propensão ao pecado. E isso todo o ser humano tem! De modo que é completamente possível a um heterossexual ter práticas homossexuais e, a um homossexual ter práticas heterossexuais. A natureza caída potencializa o ser humano à prática pecaminosa sexual. Daniela Mercury é um exemplo claro disso.

O anúncio de Daniela coincide com o lançamento do livro do psiquiatra Flávio Gikovate "Sexualidade Sem Fronteiras". Gikovate não é cristão e não advoga os padrões morais bíblicos, todavia, o bom senso o leva a algumas perspectivas. Ele diz em uma entrevista que, no futuro, "as pessoas não precisarão mais se definir como portadoras de uma orientação sexual definitiva, que nunca muda ao longo da vida. A derrubada do muro permite aos habitantes de um lado migrar para o outro - e vice-versa - quantas vezes isso lhes parecer razoável e adequado".

É claro que a perspectiva deste psiquiatra é totalmente pecaminosa, mas concorda com ponto que estamos defendendo: Homossexualismo é escolha. Aliás, do ponto de vista bíblico, é mais que escolha. É condenação, por consequência do afastamento de Deus. Em Romanos 1.26,27 nós lemos: "Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro." Pessoas distantes de Deus terão propensão maior a uma vida pecaminosa, tanto na área sexual quanto em qualquer outra.

Mas, e aqueles indivíduos que nascem com certa propensão ao homossexualismo? Meninos com preferências mais femininas e meninas com jeito masculinizado? A resposta é que propensão ao pecado, todos nós temos. O fato de um garoto nascer com uma propensão maior à mentira, não o justifica para ser um mentiroso. Uma garota que nasça com propensão maior à violência, não a torna, automaticamente, uma assassina. A natureza caída nos tornará propensos a determinados pecados, mas nem por isso devemos nos render a eles. A comunhão com Deus nos liberta destas propensões e nos dá uma vida de castidade e santificação. Neste sentido, veja abaixo alguns versículos libertadores:

"Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais às suas paixões; nem ofereçais cada um os membros do seu corpo ao pecado, como instrumentos de iniqüidade; mas oferecei-vos a Deus, como ressurretos dentre os mortos, e os vossos membros, a Deus, como instrumentos de justiça. Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça." Romanos 6.12-14

"Mas graças a Deus porque, outrora, escravos do pecado, contudo, viestes a obedecer de coração à forma de doutrina a que fostes entregues; e, uma vez libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça. Falo como homem, por causa da fraqueza da vossa carne. Assim como oferecestes os vossos membros para a escravidão da impureza e da maldade para a maldade, assim oferecei, agora, os vossos membros para servirem à justiça para a santificação." Romanos 6.17-19

"Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória. Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência]. Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas. Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar. Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou..." Colossenses 3.1-11

"Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação. Dessarte, quem rejeita estas coisas não rejeita o homem, e sim a Deus, que também vos dá o seu Espírito Santo." 1 Tessalonicenses 4.3-8

"Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus. Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus." 1 Coríntios 6.9-11

"Fugi da impureza. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo. Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo." 1 Coríntios 6.18-20

"Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; e ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro." 1 João 2.1,2


sexta-feira, 15 de março de 2013

França Antártica, uma tentativa fracassada.


Já que estava lendo sobre a tentativa francesa.....
   No final do século XV a Europa estava em busca de novas terras, novas alternativas que os tirasse da dependência do comercio mediterrâneo. Embora gozasse de maior poderio econômico e maior população, a França assistiu o mundo ser repartido pelo Papa através da Bula Intercoetera, entre a Espanha e Portugal.
   Daí a infeliz ideia de formar uma colônia em terras já colonizadas. Entendo que o fracasso em tal empreendimento se deu em grande parte, por não ter havido uma espécie de consulta ou sondagem das necessidades da então colônia portuguesa e se era do interesse dos colonos passar para o domínio francês,  o que resultou na expulsão dos franceses e ratificação do domínio português e de da religião romana.
   A tomada da ilha hoje chamada de “Ilha de Villegagnon” não foi difícil, a grande questão era viabilizar uma colônia dentro de outra já estabelecida.
   Chama a atenção a parcialidade do autor, que partidariamente denomina, sem qualquer vacilação, aos reformados como hereges e omite que o massacre da “noite de São Bartolomeu” foi uma ação represália do movimento da “Contra-reforma”. Outro fato importante é notar que o ódio gerado pela Reforma, ocasionou a “tragédia da Guanabara”, quando os colonizadores franceses foram, em grande maioria mortos. Os que sobreviveram, foram expulsos.
  Embora fosse francês, Villegagnon era católico romano e cruzado, o que o fazia serviçal dos caprichos do Vaticano. O ardor missionário dos franceses parece ter-lhes destituído a capacidade de julgamento, pois desconsideraram os iminentes perigos de tal aliança/empreendimento.
  Mesmo sendo um enorme fracasso, a tentativa do estabelecimento de uma França Antártica em terras portuguesas é tão significativa para a história do protestantismo brasileiro e do próprio Brasil, que é considerado não só como a primeira tentativa de estabelecimento de trabalho protestante, com a celebração do primeiro culto protestante e da organização, mas, também, como a oportunidade de ser colonizado por franceses reformados, o que mudaria drasticamente nossa herança de fé e de sociedade!

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Não vou parar!



Há algum tempo tenho repensado os posts no meu blog. Notei que quando falo do que anda errado na dita igreja brasileira, geralmente, há uma horda de defensores do atual modelo, como se ele fosse uma evolução. Se falo de liderança biblicamente avessa, sou amargurado, ressentido, azedo, áspero, grosso e coisas do tipo. Confesso irmãos, que durante algum tempo pensei em encerrar o blog, só para não ouvir esse monte de mimimi travestido de piedade. Olhando para a época que vivemos, percebi também que a minoria dos pregadores estão no molde do mercado, como um enlatado importado, que para um povo que sofre do que chamo "síndrome do colonizado", é o máximo! Percebo também a rica oportunidade de pregar o Genuíno Evangelho, tão desconhecido e marginalizado, porém, o único que importa!

Graças ao bom Deus, existe ainda quem não tenha se dobrado ao contexto "fast food", que dá ao povo doente o que esse deseja, não o que precisa. Pensando nisso, e depois de orar bastante, decidi continuar de forma diferente. A mudança mais importante está no nome desse blog, deixando o anonimato do "Profeta do Telhado", me identifico claramente, dando oportunidade de aproximação de quem assim quiser, tanto para crítica, o que será muito bem vinda, quanto para compartilhamento e comunhão!
No afã de cooperar com os os mais novos no Ministério Sagrado, pretendo postar também, o dia-a-dia ministerial. fiquem de olho na abas!
Mesmo com terreno nublado à frente, não vou parar!


Deus nos abençoe nessa caminhada!

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Quarto de escuta (1)


É hábito meu anotar minhas devocionais e consequentemente, minhas conversas com Deus. Sei que é algo muito particular, por isso mesmo, nem tudo virá para cá. Mas, creio que Deus pode ministrar através do compartilhamento do "quarto de escuta" (como chamo os momentos de conversa com o Pai). Talvez, enfrentemos a mesma luta e dilema. É nessa esperança que desejo cooperar.

Tenho disciplinado o meu coração e vida para que sejam momentos cada vez mais proveitosos e constantes e oro para que assim também seja contigo.

Que o Senhor lhe fale ao coração!

"Querido Deus, obrigado por mais um dia maravilhoso em tua presença, pela graça e misericórdia renovadas mesmo sendo eu pecador e indigno do teu amor. Obrigado pelo Ministério Santo confiado a mim, pela igreja que dependente de Ti pastoreio, pela cidade onde vivo, pelas pessoas do meu convívio, irmãos e parceiros de Lutas. Obrigado Senhor pelas lutas, aflições, choro, dores, doenças e todo tipo de desastre. Pai querido, cada catástrofe ao Teu lado, só me fez te amar ainda mais. Sei que não sou perfeito, mas sigo para o alvo, sigo por e para Ti. Senhor, livra-me do ego inflamado e da auto-suficiência, quero sempre depender de Ti. Faça-me cada vez mais obediente a Tua Voz revelada na Tua Palavra. Livra-me Pai Santo, das crendices, meninices e modismos vistos hoje. Faça-me cada vez mais intransigente falando da Verdade que liberta. Pai, tenho lutado contra um cristianismo de mercado, dê-me a graça da garça, que mesmo em meio a lama não suja suas penas. Confio em Ti. Em Cristo Jesus, Senhor meu e da Igreja eu oro.
Amém!"

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

E dizem pregar o Evangelho!

Coisas ridiculamente antagônicas acontecem entre os pregadores da prosperidade. A pior delas é se considerarem ministros do Evangelho. Não há nas Boas Novas, nada que lembre o comércio de indulgências ou os escambos propostos pela turma que a Forbes citou. Aliás, coisa rara é ver a Palavra de Deus exposta de forma fiel, o que tenho visto, principalmente, por parte desse "predadores" milionários é mensagens de incentivo, auto-ajuda, "testemunhos" de gente que nada tinha e passou a ter muito de tudo, positividade e toda a palhaçada que a massa quer ouvir... pouquíssima ou nenhuma referência ao estado terrível de perdição que o homem sem Cristo vive. Quando falam do pecado, parece nota de roda pé. Se alguém insiste em falar na pecaminosidade do homem e o quanto o cristianismo atual é mentiroso em vários nichos, é chamado recalcado, invejoso, amargurado e coisas do tipo. De acordo com os simpatizante da moda gospel, o grande lance é achar tudo uma "bença" e dizer inocentemente que vivemos um avivamento no Brasil... Fala sério, Irmão!
Que avivamento é esse que ao invés de glorificar a Deus através do testemunho de vidas transformadas, envergonha o Evangelho e lançam toda sorte de excremento no Sangue Inocente que nos livrou do inferno com notícias que fazem o ímpio escarnecer da Cruz?
Ah... inferno? Não pode nem mencionar... trás maus fluídos, é negativo! Disciplina Eclesiástica? Passa muito longe da maioria dos grupos novos e infelizmente, é possível encontrar entre nós, os históricos, quem abomine a disciplina!
Resumo da ópera:
Falam de promessas que Deus nunca fez;
Falam de bençãos condicionadas por  "sementes", grana mesmo!;
Falam de felicidade trazida por coisas;
Falam de dinheiro e mais dinheiro;
Não falam da nocividade do pecado;
Não falam da Santidade de Deus;
Não falam do ódio que Deus tem pelo pecado;
Não falam do inferno que aguarda os condenados pelo pecado;
Não falam da incapacidade de seres pecadores em agradar a  Deus;
Não falam do amor e misericórdia revelados em Cristo;
Não falam da morte e ressurreição fora da Páscoa, quando falam;
Não falam de santidade que o crente deve cultivar
Não falam de sofrer por Cristo;
Não falam de leitura bíblica ou de oração;
Não falam da eternidade, afinal, é tudo aqui e agora;
E mesmo assim, se qualificam evangélicos, pregadores do Evangelho... só se for o evanjélio, tão peculiar quanto o neologismo anterior!

Deus ajude os seus!

Eles ricos...cada vez mais ricos!


É queridos.... a Forbes confirmou o que venho dizendo: a teologia da prosperidade funciona mesmo.... pelo menos o seus pregadores estão podres de ricos... engordando com o alimento dos que definham!
Será que as vítimas de Edir Marcedo (U$ 950.000.000,00... quase 2 bilhões de reais), Valdemiro Santiago (U$ 220.000.000,00), Silas Malafaia (U$ 150.000.000,00), R.R. Soares (125.000.000,00), Estevam e Sônia Ernades (U$ 65.000.000,00) e outro vários da mesma estirpe teriam coragem de continuar defendendo esses lobos devoradores do suor alheio?
Infelizmente meu irmão, a resposta é sim..... sempre haverá quem desconheça a Palavra de modo a ser manipulado por corjas de sangue-sugas como a supracitada!
Se eu estiver errado, e é bem possível já que não sou perfeito, peço que Deus tenha misericórdia de mim. Mas, o que aprendi e vivo, me conduz a zelo tal, que impele minha alma em protesto!
Nojo disso... nem sei mais pelo que orar!