sábado, 30 de julho de 2011

Topa tudo por dinheiro (2) - R$ 911,00

Até quando terei que suportar isso?
Senhor Jesus, me leve embora!

É possível que alguém imagine que eu estou deprimido e por isso desisti da vida. Não! Nada disso! Na verdade, tenho vivido a melhor época da minha vida. Deus tem me abençoado com graça e misericórdia, de forma tal que me constrange. Definitivamente digo, NÃO DESISTI DA VIDA! Só não aguento mais ver a picaretagem rolando solta e em nome de Deus.

Acabei de ver uma das coisas mais grotescas já apresentadas, um show de prostituição bíblica com fins monetários. Me entristece o coração ver o quão longe da Palavra de Deus a ganância pode levar alguns líderes. O dinheiro é mesmo muito sedutor. Peço sempre a Deus que me mantenha longe do afã pelas cifra$, me fazendo satisfeito com o que tenho e que faça o mesmo com você!
Antes de mais nada, digo que não fico procurando essas coisas, não tenho costume de ver tele-evangelista. 

Minha igreja tem um programa, sempre estou acordado no horário, mas raramente o vejo. Foi algo casual, ou melhor, providencial... Pegando a linguagem do "povo", Deus me dirigiu até a o Programa do "Malafeita". E lá quem estava? O "Mestre dos magos" da prosperidade, o "Jedi" guardião da "unsão" de Deus, o maior pedinte gospel vivo na atualidade, o sedutor e mentor do "Malafeita", Morri$ Cerullo. Esse, cada vez mais parecido com apresentador de programa sensacionalista. Usa a técnica de manter as pessoas grudadas com uma frase de suspense, uma pergunta, "vocês estão prontos?"

Pois bem, o "mentor" iniciou sua prédica afirmando que Deus havia falado que tinha uma unção especial para os brasileiros e que a derramaria através dele. Como pano de fundo usou alguns textos bíblicos que estendeu até seus propó$ito$ e falou que a crise financeira mundial é um sinal que do que Deus ira fazer. Segundo Morri$, Deus está tirando o dinheiro dos impios e dando as santos. Nesse ponto ele usa a palavra discernimento, e afirma: "vocês precisam entender isso, Deus está tirando dos ímpios e dando aos crentes". "está chegando, posso sentir, uma medida extraordinária". 

Antes de lançar o de$afio, e na tentativa de destruir o a capacidade crítica do ouvinte, afirmava: "O povo tem que agir rápido, quanto mais rápido agimos, mais fé demonstramos. A hesitação é como pecado". Ou seja, não pense, não reflita, aja por impulso e apenas dê! É assim que a Bíblia nos ensina a agir, ou essa é a vontade do vendilhão em questão? Olhe o Texto Sagrado, "Não é bom proceder sem refletir, e peca quem é precipitado" (Provérbios 19.2).

Depois de alguns minutos "cozinhando o galo" ou melhor os "patos", o cara teve a "pachorra" de mais uma vez e em rede nacional, pedir dinheiro em troca de benção. 
Para que ninguém estranhe, usa a palavra que ensinou ao "Malafeita", o termo "semear". No entendimento do$ profeta$ da pro$peridade, se você quer algo especial de Deus é preciso $emear, dar dinheiro, e sempre numa quantia que ele, o "Jedi" estipula. 

Dessa vez o valor pedido foi R$ 911,00 (é, comparando com sua última aparição no programa, houve um "ágil santo" por conta do "discernimento" que teria recebido a cerca do número 11 (onze). Que discernimento é esse, heim? Faz até ajuste inflacionário!

Por vária vezes apelou para a "espiritualidade" do telespectador. "pra você entender, Deus terá que abrir os teu olhos, Deus terá que abrir olhos espirituais dos que tem medo" Creio que o objetivo aqui foi nada menos que mexer no brio de quem já estava hipnotizado. A neurolinguística do "homi" tá afiadinha!

E finalmente deixa bem claro: "Você tem que semear R$ 911,00 para que Deus derrame essa medida extra!"

Agora pensemos um pouquinho:
*Será que as pessoas  não questionam o fato de que toda vez que que o Cerullo aparece, tem grana da hi$tória?

E pra fechar o pacotão da benção, o "pofreta" disse: "Jesus teve 12 apóstolos e Deus me diz que está levantando 12 pessoas que irão ligar com uma oferta de (pasmem!) R$10.011,00 (dez mil e onze reais). Sei que existem pessoa que podem doar para a obra até muito mais. Como exemplo, uso um servo de Deus, o qual me dou o direito de reservá-lo no anonimato, mas que sabendo da construção de uma igreja nossa, fez a seguinte oferta: "O que a igreja conseguir arrecadar num tempo determinado, eu darei cinco vezes mais". O final dessa história? Mais de R$ 500.000,00 e a igreja quase prontinha!
O irmão generoso sabe que Deus não está obrigado a dar a ele o que doou para a construção, mas Deus o abençoa, não porque ele dá generosamente, e sim porque não espera nada em troca!

Segundo Silas "Malafeita", eu sou um bobalhão da internet que não tenho o mesmo tempo que ele ou o Cerullo e por isso estou desqualificado para dizer algo que vá contra o que eles fazem. Posso até ser bobalhão e tenho prazer nisso. Acabo de me lembrar do pastor que acompanhou em 96, o meu processo de conversão, o Lúcio. Certa vez, esquentadinho como eu era, disse ao pastor: se o fulano olhar torto pra mim mais uma vez, eu vou encher de pancada. Olhando pra mim com um sorriso de canto de boca, o Pr. Lucio me disse: "Max, agora você é um bobo!". Entendi que como ovelha eu deveria ser manso e ter uma forma diferente de ver, afinal, nem tudo girava em torno de mim! Aos defensores do "Malafeita", essa é pra vocês, prestem atenção!
Sou novinho, tenho só 32 anos de idade, 15 de Evangelho e 7 de ministério, mas cresci o suficiente para discernir hipócritas e vendilhões que por muito dinheiro prostituíram a fé, mudando "mi$terio$amente de posição. Fico bobo (srsrsr) de ver o quanto o conteúdo da pregação mudou. O referido, foi de taxativo repudiador da teologia da pro$peridade para seu maior proclamador no país. É tão estranho, que parecem duas pessoas. 
O vídeo a baixo é uma compilação do antecessor, tirado do youtube por reclamação de direitos autorais por parte de terceiros que não o envolvido. Estranho né?.

Eu realmente sou um manézinho, não entrei na "onda", não cindi igreja, não sou bom escritor, não tenho programa de televisão, não tenho editora, não tenho um império, não enriqueci na "obra", não sou pastor de mega-igreja, em fim, não sou famoso. Sou apenas mais uma voz somada a tantas outras que já não aguentam mais ver tanta bobagem. 
Como disse, não sou famoso, mas prego o mesmo Evangelho desde que comecei, minha palavra não mudou devido uma "nova onda" ou "ventos de doutrinas".
Sigo o meu trabalho com as ovelhas que me foram confiadas e com a certeza de alimentá-las com bem mais do que apenas "leite".

Aos que tomaram o mesmo caminho dos "Jedi'$ da$ cifraS ou acham o máximo essa palhaçada, tenho orado para que o Senhor, misericordiosamente, os restitua a sanidade, pois estão loucos!  

Que o Senhor nos livre!



sábado, 23 de julho de 2011

Ostras - "remaker"

Conversando com alguns amigos e irmãos, cheguei a uma conclusão alarmante... cada vez mais pessoas desistem de uma vida de verdadeira qualidade, seja trocando-a por aventuras infanto-juvenis ou escondendo-se, traumatizados pelo medo. Assim, vi a necessidade de trazer novamente e agora ampliado, algo que postei no blog que tenho com minha noiva. Pois bem, ao post: 

O exercício da vida me tem ensinado algumas pérolas, principalmente no que tange o relacionamento humano, seja ele qual for. Se um amigo te decepcionar, magoar, trair sua confiança e isso causar algum tipo de rompimento, NÃO SE FECHE PARA O MUNDO, NÃO SE FECHE PARA AS PESSOAS!


Resistir a esse impulso, naturalmente defensivo, pode lhe garantir, a partir daí, relacionamentos de extrema qualidade. Pois, agora vacinado e seletivo como nunca, não corre mais riscos desnecessários. Portanto, SAIA DA "OSTRA", VIVA, SEJA AMIGO, CONFIE, AME, mas não como anteriormente, AME MUITO MAIS.

Na verdade, é redundante dizer isso, já que, o que será possível viver em seguida, lhe fará duvidar de tudo o que já experimentou na matéria! 


Coisa alguma, ou quem quer que seja, merece que você interrompa a vida esperando por um retorno que pode jamais ocorrer.

Se você deseja realmente ser feliz, aprenda a valorizar o que passou, entenda como foi benéfico à formação do que você é hoje, sinta-se confortável com a nova "bagagem", perceba o controle, a soberania de Deus e repita como o Apóstolo Paulo, não como um mantra, mas como alguém que conhece o Deus em quem confia: "Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito" (Rm 8.29).
Note algo muito importante nesse texto, a palavra "sabemos". "SABEMOS" fala de uma confiança, não uma torcida, mas conhecimento de causa. Expõe a certeza de quem sabe que toda dor e tristeza, ainda que lacerante, trará benefícios a quem ama a Deus. Essa confiança nos habilita a seguir seguros e tranquilos, entendendo que Deus fará a calamidade cooperar para o meu bem. 

Não se esqueça de um detalhe importatíssimo ao sair, DESTRUA A "OSTRA", NÃO TENHA PRA ONDE VOLTAR, FAÇA DO NOVO O MELHOR!

"...Sê forte e corajoso, não temas, nem te espantes, porque o Senhor, teu Deus, é contigo por onde quer que andares" (Js 1.9)

Que o Senhor fale ao teu coração! 

terça-feira, 19 de julho de 2011

Topa tudo por dinheiro - "o contrato da fé"



Começo hoje uma série de postagens que denunciam as loucuras, distorções do Texto Sagrado e um pouco do xamanismo praticado nas Sinagogas de Satanás que mais "bombam" no Brasil. Escolhi um nome bem conhecido dos brasileiros, "Topa Tudo por Dinheiro", em uma clara alusão ao antigo programa do SBT onde os participantes "pagavam o mico" que fosse para ganhar alguns trocados, esvaziando assim o recheado terno do dono do Baú.


É claro que falamos dos predadores, ops, (srsrsrsr) "pregadores" televisivos, que em sua ampla maioria é constituída por uma horda clonada (falam como o chefe) e famigerada que não mede esforços para arrancar dos seus pobres clientes até o último centavo. Logicamente, se eles dissessem logo: "abram suas carteiras, queremos tudo o que você puder nos dar. Se não tiver aí, não tem problema, faça um cheque, passe um cartão ou vá em casa e busque algo", não teriam qualquer chance! Mas são espertinhos como todo ladrão e disfarçam suas intenções sórdidas na autoridade bíblica. Sabemos que a Bíblia não apoia essa exploração. Pois é, eles também sabem! Por isso usam o método conhecido mais antigo, a distorção, o conhecido "texto fora do contexto". Admito que são muito criativos e efetivos, pois multiplicam-se como roedores da mesma espécie, RATOS!


A oferta é bíblica, algo muito particular, foro íntimo e não quero arbitrar quem oferta, mas mostrar como os obreiros das cifra$ prostituem a Bíblia em vantagem própria, transformando-a em uma "poderosa nota promissória celestial".


Vamos então ao caso de hoje:






O texto citado aos 0:55, ainda que alterado para fins escusos é o Salmo 84.6. Me chamou a atenção o uso da palavra "sociedade" para traduzir a comunhão, o prazer e os benefícios de quem confia no Senhor. Note a alteração e o argumento da autoridade bíblica: "tá escrito... bem aventurado o homem que faz do deserto um manancial... (cumé que é mesmo?) ... de águas... tá escrito".


Em seguida, a música "espetaculosa" (os mais antigos se lembram que costumava ser "O Fortuna, Carmina Burana" de Carl Orff), a voz empostada e sensacionalista convida para o local e horário. Picadeiro pronto, que comece a palhaçada, o que acontece sem delongas. Não desmerecendo os honradíssimos doutores do riso mas, não encontrei algo mais adequado.


Um bem adestrado filhote de Macedo pergunta: Como se faz uma sociedade com Deus? Agora sim, está explicado a finalidade da "exejegue" que fez a palavra sociedade aparecer. O contrato da fé, que segundo o "Macedinho" garante ao possuidor do poderoso escrito com "firma" reconhecida pelo sangue sei lá de quem, porque Jesus, o Cordeiro passa muito longe de tudo isso, uma sociedade com Deus para conquistar.


Em um outro momento é dito: "Foi pelo sacrifício de Jesus na cruz que hoje podemos nos associar com Deus e termos os benefícios." Nenhuma alusão ao sacrifício vicário, ao perdão dos pecados, à satisfação da justiça de Deus ou ao cumprimento do eterno desígnio de Deus. Segundo esses pilantras (perdão, não aguentei), Jesus derramou o próprio sangue até a morte, apenas para que por meio de um contrato feito na Sinagoga do Cão, tivéssemos o que ele chama de benefícios. Admito que meu sangue ferveu quando ouvi tal pataquada.


Mais próximo do final, pra fechar com "com chave de ouro", vem a chamada e reafirmação do despacho contratual: "...através desse contrato nos vamos determinar... Vai dar certo... e tem que dar... deus (o deusinho, o demiúrgo, o vassalo) tem que fazer o impossível e acabou!"


Todos nós sabemos que em determinado momento da reunião, um sacrifício (doação por persuasão) em dinheiro será pedido e que o argumento será o mesmo, "exercite a sua fé". Volto a enfatizar, meu problema não é com o fato de se ofertar, e sim o modo como feito. O coitado portador da indulgência se vê obrigado a pagar por ela. Afinal, segundo a corja "o pagamento expressa a fé, quanto maior a fé, maior a oferta e quanto maior a oferta, maior será o retorno.


Pelo que percebemos aqui, esse povo se acha dono de Deus, ou no caso o demiúrgo. Eles mandam, determinam, ordenam e afirmam que será como querem. O cachorrinho que eles chamam de "Deus" não tem outra opção, senão honrar o seu possuidor.


Meu caríssimo leitor, que como eu fica indignado com essas distorções do Texto Sagrado que visam unicamente o lucro, não deixe de expressar sua importantíssima opinião, seja ela qual for.


Um grande abraço e que o Senhor ajude os países onde essa franquia de jizuiz chegou. Oremos pela misericórdia de Deus sobre esses, mas não nos esqueçamos de pedir por justiça!


Que o Eterno Deus os abençoe!

terça-feira, 5 de julho de 2011

Como arrancar o dinheiro dos fiéis? A IURD ensina!

Atualmente, pouquíssimas situações me assustam no "evangelicalismo brasileiro". As práticas cada vez mais estranhas ao Verdadeiro Evangelho, crendices com cara de piedade e coisas do tipo indicam que vivemos uma era sem precedentes, o que chamo de "coisificação" do Evangelho. Neste pensamento incluo tudo o que torna o nome de Cristo comum. Novas roupagens, gradativamente tiram a beleza da pregação, descaracterizando-a à palestras de auto-ajuda e massagens de ego, e esse cada vez mais inchado com a falácia dos "super-crentes", moldam a cara do "crente" tupiniquim.

Somado a isso, temos o que chamo de detentores da "agenda divina". Os que marcam a hora e o local para que Deus abençoe o aflito. O que me perturba os pensamentos nisso tudo é o grau de canalhice envolvida. Deus, nesse caso, um deuzinho, um demiurgo ou um serviçal, fica obrigado a cumprir a agenda do seu senhor, o que possui a "agenda celestial". O chamariz é muito eficiente: "VOCÊ QUE SOFRE COM (todo tipo de aflição humana), VENHA, NÃO IMPORTA A SUA RELIGIÃO, VENHA QUE deus VAI TE ABENÇOAR." Aí, é claro, há um suposto "testemunho" de alguém que teria perdido tudo e que depois frequentar a promovida reunião, foi abençoado. A benção? Moleza! Casa, carro, dinheiro, felicidade, tudo o que o coração do homem deseja. Na dia e momento em que desejar, afinal, "a mão do demiurgo está lá". 
O que não pode ser esquecido é o fato de não haver necessidade de arrependimento, o pecado nunca é abordado, afinal, não é inteligente chamar o "cliente" de culpado ou pecador. Nisso eles são "espertos"!
Todos sabemos que tudo isso não passa de engodo, um atrativo, uma isca para o objetivo maior, O BOLSO DO COITADO QUE SE DEIXA ENGANAR!

Antes de mais alguma coisa leiamos a origem e definição de uma palavra muito importante para que entendamos a dinâmica da exploração financeira em nome de um deus que dá tudo, mas não salva do inferno.    

Charlatanismo é a prática do charlatão, palavra que deriva do italiano ciarlatano, que seria, segundo alguns, corruptela de cerretano (ou seja, natural de ou oriundo de Cerreto, vila situada na Umbria, Itália), e segundo a maioria, derivada de ciarla, ciarlare (de "falar", "conversar", neste caso seria equivalente, em português, a "parlapatão" – pois denota o uso da palavra para ludibriar outrem. Em outros idiomas o charlatanismo adquire a acepção de exercício ilegal da medicina, ao passo que em português tem significado comum de vendedor de substâncias pretensamente medicinais, curativas, que apregoa com vantagens, daí a nome curandeirismo.
Em sentido geral e vulgar, portanto, os termos charlatanismo e curandeirismo fundem-se e podem ser definidos como toda prática pseudocientífica, apregoada por alguém com vantagens fraudulentas, pecuniárias ou não, ludibriando a outros – isso é, oferecendo algo vantajoso sem realmente ser. O termo inglês quack poderia então ser traduzido como curandeiro.

Essa é a dinâmica que oferece tudo, menos o que realmente importa, a salvação do inferno. Sei que vida com Deus é foro íntimo, mas não tenho nenhum problema em desconfiar dessa corja. 


Creio que esse povo usa uma nova versão parafraseada de "Do que adianta ganhar o mundo inteiro e perder a própria alma?" - Segundo a tal versão, o versículo ficaria assim: "Do que adianta ser crente se não for rico e ter saúde 100%?" Fico imaginando o que eles fazem com os textos bíblicos que falam de crescimento via sofrimento. Devem esconder nas "cuecas da prosperidade"! (hehehehehe)


Isso não é exclusividade da IURD não, o falastrão do Valdomiro lançou o TRÍZIMO, isso mesmo, 10% x 3= 30% do salário. O argumento foi o seguinte: "representação das pessoas da Trindade", 10% pra cada um!  Chupa essa manga!

Os videos abaixo mostram um "wokshop" de como extorquir em nome da fé. Para os críticos de plantão, preste bastantem atenção, NÃO ME IMPORTO COM O QUE PENSA SOBRE MIM. O que faço, faço com a consciência limpa, certo de que prestarei contas ao Eterno Deus que a mim confiou o Ministério Sagrado. De modo que, se minto, invento ou omito, o problema e MEU, acertarei as contas com Deus. Porém, se o que digo aqui procede, em Cristo sou inculpável e o problema é todo SEU!  

Aos demais, que desde o início deste blog me acompanham, orem ao Senhor para que muitos sejam libertos dessas quadrilhas "golspel" (quem lê entenda). Mostrem esses videos em suas igrejas, alertem o povo e exponham sem dó. Não fique de braços cruzados. É por causa desses imundos que você e eu levamos nome de trouxas por dizímar fielmente ou no caso de líder, fama de roubar aos fieis.

Que o Espírito Santo abra o entendimento dos ludibriados! 
Fazendo minhas as palavras do tal Pe. Kevedo: Isto é charlataniiiiiismóóó! 

Parte 1



Parte 2