quarta-feira, 2 de novembro de 2011

A Morte de Quem Vai e a Vida de Quem Fica




Saudades e Consolação
“Finados” é um dia em que todos são convocados a lembrar os que morreram. Mas só dói quando quem morreu era muito próximo da gente, ou ícones que nós admirávamos (milhares sofreram quando Senna morreu).

De qualquer modo, a saudade pode ser uma lembrança dolorosa ou uma memória feliz. Há os que se lembram de alguns que morreram com ódio ou ressentimento. É preciso perdoar, aqueles que nos feriram e já se foram (e até mesmo os que estão aí vivinhos). O perdão cura almas feridas.
É preciso também de consolação.

A consolação só completa seu ciclo quando se vive o luto completamente. Isso envolve: separar-se do corpo da pessoa (enterro), das coisas (doar o que pertencia a quem partiu) e também separar-se emocionalmente. Deus encerrou o plano na vida de quem se foi, mas não encerrou o plano dele na vida de quem permanece. Quem se foi será sempre parte de nossa história. Não pode ser deletado ou deletada. Mas quem ficou tem uma nova historia para escrever com a graça de Deus.

Quando alguém que você amou faleceu é porque a morte foi inevitável. Certamente você fez o que podia para que a morte não acontecesse. Sua dor foi ou ainda é indescritível: o luto - a dor mais solitária que existe. Pode ser um processo curto ou longo. Mas quem não passa o luto, não sara. As consolações vêm do Espírito Santo que usa a Bíblia, pessoas, musicas e diversas "cristocidências".

“Bendito seja o Deus de toda consolação. É Ele que nos conforta em nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação que nós mesmos fomos contemplados por Deus”II Co 1.3-4. Quando estiver passando o luto, não se isole.

Recomeçar é preciso. Levante-se. Há novos caminhos para percorrer. Novos tempos para serem vividos. Dê um novo passo. Escolha recomeçar! Um abraço gente boa. Com orações em favor dos que estão vivendo luto e recomeço.

Compartilhado com a permissão do amado pastor Jeremias Pereira

2 comentários:

Bruno Muricote disse...

Ótimo texto Max!

Maximiliano Gama disse...

O Rev. Jeremias é realmente uma benção!