segunda-feira, 25 de junho de 2012

O buraco.



Todo ser humano tem em si o profundo desejo de ser feliz. Todas as boas realizações e sucessos da vida acabam proporcionando uma sensação de satisfação. Ter um bom trabalho, uma família, amigos, diversão e prazeres preferidos, geralmente são usados como exemplos de felicidade. Outro fato que influencia bastante é ter pra quem voltar depois do trabalho, depois de uma viagem, enfim, alguém pra chamar de amor. Não firmo portanto, que a pessoa que não possui tudo o que já citei, seja infeliz por isso. Mas afirmo que de modo geral, essa é a compreensão. Muito pelo contrário, creio sim, que mesmo detentor de várias realizações, ainda assim, há a grande possibilidade de tristezas e angústias indizíveis. Como isso é possível, se tenho o que quero, se vivo do meu jeito e se conquistei tudo o que sempre quis? A resposta está implícita na própria pergunta. Explico: 

Embora não tenha curso de eletrônica, gosto muito do assunto, leio o que encontro e desmonto quase tudo aqui em casa. Até um tempo atrás, era comum sobrar peças ao final do serviço, problema resolvido com fotos e filmagem (rsrsrs). Assim, cheguei ao ponto de recuperar minha placa-mãe apenas trocando alguns capacitores. É claro que muitos dos  equipamentos por mim desmontados encontraram seu descanso final no lixo.  Mas a questão era sempre a mesma: Qual é o problema e como resolvê-lo? 

Como já disse, leio muito e descobri na internet um mundo de aprendizado. Nela encontro de tudo, inclusive manual do fabricante direcionado à assistência técnica, nele há tudo o que é preciso para reparar o tal aparelho, desde qual é defeito, onde está chegando até como fazer, muito diferente do manual do usuário, aquele que vem com o produto.

Conheci alguns técnicos eletrônicos que me confidenciaram não ler a maioria dos manuais, e tratam tudo de forma genérica, com excessão de alguns aparelhos carentes de cuidados e peças específicas. E mesmo quando seguem o manual em cima, às vezes, não é possível fazer coisa alguma na assistência. Esse tipo de defeito, geralmente tem duas causas primárias, o que chamamos de "defeito de fábrica" e/ou mal uso do equipamento. Desta forma, o aparelho deve retornar a fábrica/industria, pois o defeito é tão específico que somente lá encontra solução.

Cheguei onde eu queria, a resposta da pergunta. O grande problema na questão da angústia e felicidade, é o fato de procurarmos a resolução da nossa forma, no nosso tempo e com nossas capacidades. Neste caso, a tristeza virá da falta de realização na realização, ou seja, aquilo que seria suficiente para  ter alegria e paz não satisfaz, ou ainda, todas as conquistas, por maiores que tenham sido, não preencheram o enorme vazio. Lembrando da eletrônica, é preciso cuidado específico, um bom técnico que conheça bem o manual do fabricante ou por fim enviá-lo a quem pode resolver: o fabricante.

Certa vez, em resposta ao mesmo questionamento disse o seguinte: Em algumas situações das nossas vidas, a solução é muito simples, depende apenas de aplicar o que aprendemos durante nossa existência, outras vezes precisaremos aprender algo, então só depois conseguiremos a resolução, talvez seja o caso de pedir ajuda a alguém capacitado (um amigo ou alguém de confiança), ter e saber utilizar o manual de instruções (a Bíblia) ou finalmente, enviar ao fabricante (Deus).

O comportamento humano é algo que me chama muito a atenção. 
O filósofo italiano, chamado Maquiavel (1469-1527), escreveu: “O homem é um ser satisfeito e insatisfeito ao mesmo tempo”. Por isso, a todo o momento busca preencher o vazio interior, provocado pela insatisfação causada e herdada pela desobediência dos primeiros pais. Quem nunca sentiu um vazio terrível dentro de si mesmo? Este vazio só pode ser preenchido pelo amor de Deus, mas muitos buscam na droga, no sexo sem responsabilidade, etc. Todos os homens (seres humanos) sofrem desse mal. Sabemos bem que para a resolução de um problema, é necessário antes reconhecê-lo. Assim sendo, fingir que nada ocorre, ignorando o tremendo buraco e o grito da alma é terrivelmente perigoso, quase "kamikaze", suicida mesmo!   


A vida deve ser aproveitada com tudo o que pode oferecer, inclusive as dores do "crescimento". 


Concluo dizendo que Deus, em Cristo Jesus, nos proporciona a ÚNICA maneira de tapar, encher, fechar o "buraco"... é isso mesmo... o tal "buraco", o vazio, a angústia que insiste em  apoderar-se de muitos, só poderá ser totalmente preenchido por Deus, Seu amor, graça e misericórdia! Se assim não fosse, Jesus jamais teria enfatizado o objetivo de sua encarnação e não teríamos o verso dez do décimo capítulo do Evangelho segundo descreveu João. Palavras de Cristo: " Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância" 


Porém, lamentavelmente, não é incomum encontrar quem fuja dessa realidade.
Oremos pelos que sofrem!

Um comentário:

Paulo Henrique disse...

Muito Bom Texto. Parabéns.