sexta-feira, 15 de março de 2013

França Antártica, uma tentativa fracassada.


Já que estava lendo sobre a tentativa francesa.....
   No final do século XV a Europa estava em busca de novas terras, novas alternativas que os tirasse da dependência do comercio mediterrâneo. Embora gozasse de maior poderio econômico e maior população, a França assistiu o mundo ser repartido pelo Papa através da Bula Intercoetera, entre a Espanha e Portugal.
   Daí a infeliz ideia de formar uma colônia em terras já colonizadas. Entendo que o fracasso em tal empreendimento se deu em grande parte, por não ter havido uma espécie de consulta ou sondagem das necessidades da então colônia portuguesa e se era do interesse dos colonos passar para o domínio francês,  o que resultou na expulsão dos franceses e ratificação do domínio português e de da religião romana.
   A tomada da ilha hoje chamada de “Ilha de Villegagnon” não foi difícil, a grande questão era viabilizar uma colônia dentro de outra já estabelecida.
   Chama a atenção a parcialidade do autor, que partidariamente denomina, sem qualquer vacilação, aos reformados como hereges e omite que o massacre da “noite de São Bartolomeu” foi uma ação represália do movimento da “Contra-reforma”. Outro fato importante é notar que o ódio gerado pela Reforma, ocasionou a “tragédia da Guanabara”, quando os colonizadores franceses foram, em grande maioria mortos. Os que sobreviveram, foram expulsos.
  Embora fosse francês, Villegagnon era católico romano e cruzado, o que o fazia serviçal dos caprichos do Vaticano. O ardor missionário dos franceses parece ter-lhes destituído a capacidade de julgamento, pois desconsideraram os iminentes perigos de tal aliança/empreendimento.
  Mesmo sendo um enorme fracasso, a tentativa do estabelecimento de uma França Antártica em terras portuguesas é tão significativa para a história do protestantismo brasileiro e do próprio Brasil, que é considerado não só como a primeira tentativa de estabelecimento de trabalho protestante, com a celebração do primeiro culto protestante e da organização, mas, também, como a oportunidade de ser colonizado por franceses reformados, o que mudaria drasticamente nossa herança de fé e de sociedade!