quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Tem um real?



Um dia, quando o pai retornava do trabalho, o filho perguntou-lhe com voz tímida:
- Papai, quanto o senhor ganha por hora?
O pai, com voz severa, respondeu:
- Escuta aqui meu filho, isto nem sua mãe sabe. Não me amole, estou cansado.
O menino, no entanto, insistiu:
-Mas, pai, por favor, me diga quanto o senhor ganha por hora?
Menos severo, porém desejando encerrar logo a conversa, o pai respondeu:
- Três reais por hora.
- Então, papai, o senhor poderia me emprestar um real?
O pai, cheio de ira e tratando o filho com brutalidade respondeu:
- Então era essa a razão de querer saber quanto eu ganho? Vá dormir e não me amole mais, menino aproveitador!
Já era tarde quando aquele pai começou a meditar sobre o que havia acontecido e sentiu-se culpado. “Talvez, quem sabe, o filho precisa comprar algo”, pensou. Querendo aliviar sua consciência doída, foi até o quarto do menino e, em voz baixa, perguntou:
- Filho, está dormindo?
- Não papai.
- Olhe, aqui está o dinheiro que você me pediu. Um real.
- Muito obrigado – disse o menino, levantando-se. Pegou uma caixinha que estava debaixo da cama, retirando dela dois reais, que juntou ao que seu pai lhe dera, e disse:
- Agora já completei papai. Tenho três reais. O senhor poderia me vender uma hora do seu tempo?
(Extraído da revista "O Evangelista" - Jul-Ago-Set/99)


Que o Senhor nos ajude na valorização do tempo dos nossos!

terça-feira, 7 de agosto de 2012

34 anos!



Hoje é um dia muito especial para mim, comemoro o meu 34° aniversário (tá faltando uma quantidade considerável de velas nesse bolo aí!). Como passaram rápidos os últimos 18... srsrsrs! Pois é, muita coisa aconteceu: Fui encontrado por Cristo (o melhor de tudo), fui impactado com a Santa Vocação, fiz amizades inesquecíveis, reafirmei antigas, tive esperanças, certezas, decepções, derrotas, vitórias, ri muito, chorei até, estudei muuito, cursos vários, várias cidades... Nesse período morreu muita gente que eu amava, mas outros nasceram!
Sou imensamente grato a Deus por me fazer como sou... completo!
Amo meus pais, e olha que tenho duas mães... srsr! Meus irmãos são lembranças constantes e saudades que nunca passam, de coisas que não se esquecem... (chorei!) “pisei no xixi, pisei no cocô...” “de leste a oeste, de norte ao sul...”.  Todos, motivo de minha oração!                    Pensar na minha esposa me lembra a cada dia o quanto Deus me ama e cuida de mim; olhar meu filho é ver um sonho outrora perdido.... REALIZADO! (chorei outra vez!).
Meditando sobre extravagante graça de Deus, não sei quantos mais se sentem como eu, totalmente inadequados. Creio que é por isso que não estou disposto a transigir no que aprendi sobre Ministério, no tempo em que estive no IBEL... Ética Cristã e Administração pastoral fizeram toda a diferença, tive professores ótimos e sou grato a todos, especialmente ao que me instruiu sem sequer me escrever uma linha.
Chego aos 34 anos com “n” arrependimentos e muito aprendizado, grato a Deus por tudo o que sei fazer.
Não sei quantos ainda virão, não tenho grandes expectativas quanto a isso. Mas sei que o tempo restante está franqueado ao Pai, que me viu morto e me amou quando eu não olhava para Ele.