quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Vazou musica inteira do novo cd do Dream Theater

O 1° trabalho da banda pós Mike Portnoy, guardado a 7 milhões de chaves... VAZOU!!
Por enquanto, apenas duas!
Sou fã, e por isso suspeito. Mas realmente, me preparo para o melhor trabalho da banda.


Enjoy...


terça-feira, 30 de agosto de 2011

A culpa é toda do Professor Pardal

Muita gente me pergunta como foi minha jornada musical. Não é algo muito fácil de responder. Afinal, sou sobrinho de maestro, filho de compositor de escola de samba, passei minha primeira infância arrebentando codas de cavaco, banjo, violões e mexendo em todo instrumento que em virtude do processo criativo, iam lá pra casa com seus donos, que nem sempre os levavam de volta. Daí, o paraíso de criança curiosa estava feito. Tive o raro privilégio de presenciar a confecção de coisas que me lembro até hoje, melodias e letras que nunca me deixaram e provavelmente, nunca deixarão. Também foi um prazer imenso conhecer grandes interpretes da nossa MPB. 


Cresci ouvindo boa música. Aliás, cresci ouvindo música. Quem conhece meu pai sabe que na casa dele a música só para pra dormir.
Ouvi muita coisa das discotecas (velharia, heim!?), anos 70, Carpinters (estou reapaixonado por estes), Abba, Barbara Streinsend, Geoge Benson, Ray Coniff, se postar tudo aqui o post triplica só com nomes... a "Antena 1 - Light FM" era a boa da noite, dormia com aqueles fones quase maiores que a minha cabeça(srsrsr)... só curtindo um som legal.


Samba? Vixi, isso eu escutei o tanto que comi, a Rádio Tropical era a única que tocava exclusivamente tudo o que se referia a samba, desde samba-canção até samba de partido alto(improviso - sou fã). Sem contar detalhar a vivência na quadra da Beija-Flor, onde passei quase todos os finais de semana, fosse em disputas de sambas-enredo, em festivais ou em festas da ala dos compositores. Olhando por aí, eu deveria ser sambista... srsrsrs! 


O curioso é que com 8 anos, não havia ainda, um instrumento sequer que me chamasse a atenção. Mas eu tinha um avô que podia trocar o nome para "Professor Pardal" (quanta saudade) de tanto que inventava moda. Uma delas foi tocar violão, ficava grande parte do dia tocando violão e cantando letras com coisas que criança gosta de falar (cocô, xixi, meleca, peido... rindo só de lembrar!), e toda vez que eu chagava na casa dos meus avós, ele cismava de tentar me ensinar... "Macus" (meus avós nunca conseguiram dizer o meu nome... por que será?) vem aqui. Aí comçava: "dedinho alí, a mão direita faz isso, aí chá-com-pão, chá-com-pão. Nunca deu certo, nunca quis. Mas um dia ele disse algo que repetiu até o último dia de vida, fragilizado por um AVC: "Erza (minha avó Elza, a única que não me chamou de Macus), Erza, quando eu morrer você vai dar esse vilão pro Macus (eu), esse menino leva jeito", e dizia o mesmo pra toda a família, tanto que no dia seguinte ao sepultamento a "encomenda" chegou. Um tonante amarelado, encordoamento de aço, com "cristal", uma caixa amplificada e revistinhas com um monte de música que não conhecia. Eram hinos, descobri uns três anos mais tarde. 


Quem diria?
Comecei a tocar porque ganhei uma herança póstuma.
Então, a culpa é toda do Sr. Matias, meu avô, o "Professor Pardal"!


Continua... (afinal. foi só o começo!)   
IntéMax!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Ainda não é o último

Começo tardiamente, mas em tempo de reparar um deslize. Como alguém que ama música, pode não falar sobre? Sem condições, né? Começo hoje a falar também de bons cd's. Afirmo que terei o meu gosto como referência. Assim, será impossível agradar a todos. Variedade será uma tônica, escuto tanta coisa que pode deixar a maioria bem tonto, srsrsrsrsr!
MPB, Jazz, POP, Soul, Irish(minha viagem do momento), Funk (explico: Funk de verdade, não essa tranqueira que o povo na minha terra natal escuta), Rock (todo tipo), Folk, a gama é montruosamente grande.
Não me prendo a rótulos, gosto de boa música, bem tocada e de qualidade. Dificilmente teremos aqui "modinha", tá bom, teremos sim, mas só pra criticar...srsrsrsr! Não poderia faltar, é claro!

Vamos ao que interessa:
O CD de hoje é o "Ainda não é o último" da banda RESGATE (não RESTART.... aff!). É uma obra com 12 faixas estupendas. Vale a pena lembrar que o RESGATE foi a primeira banda do selo gospel (Não gosto do termo) da SONY. Um trabalho de qualidade internacional. Muito bem mixado, não estoura em nenhuma frequência, mesmo "chutando o som lá em cimão".

O instrumental é cru e rasgado, coisa de RESGATE mesmo, mas eles fazem como ninguém. As letras merecem toda a atenção. Comprei o álbum num momento muito difícil da vida e fui tremendamente edificado pela música do vídeo abaixo. Há também uma letra muito inteligente que brinca com a língua inglesa, "Jack, Joe and Nancy in the mall (the book is on the table). Mas na minha opinião a melhor música fica por conta de "Genérica", uma crítica rasgada à igreja dos nossos dias, mas preocupada em parecer e aparecer do que ser.

Criança Esperança - Carta ao Didi




CARTA ABERTA DE ELIANE SINHASIQUE (jornalista e publicitária) PARA RENATO ARAGÃO (o Didi da REDE GLOBO DE TELEVISÃO)

Querido Didi,
Há alguns meses você vem me escrevendo pedindo uma doação mensal para enfrentar alguns problemas que comprometem o presente e o futuro de muitas crianças brasileiras. Eu não respondi aos seus apelos (apesar de ter gostado do lápis e das etiquetas com meu nome para colar nas correspondências) ..........
Achei que as cartas não deveriam ser endereçadas a mim. Agora, novamente, você me escreve preocupado por eu não ter atendido às suas solicitações.Diante de sua insistência, me senti na obrigação de parar tudo e escrever uma resposta.

Não foi por " algum motivo " que não fiz a doação em dinheiro solicitada por você. São vários os motivos que me levam a não participar de sua campanha altruísta (se eu quisesse poderia escrever umas dez páginas sobre esses motivos).

Você diz, em sua última carta, que enquanto eu a estivesse lendo, uma criança estaria perdendo a chance de se desenvolver e aprender pela falta de investimentos em sua formação! Didi, não tente me fazer sentir culpada. Essa jogada publicitária eu conheço muito bem. Êsse tipo de texto apelativo pode funcionar com muitas pessoas mas, comigo não. Eu não sou ministra da educação. Não ordeno e nem priorizo as despesas das escolas e nem posso obrigar o filho do vizinho a freqüentar as salas de aula. A minha parte eu já venho fazendo desde os 11 anos de idade, quando comecei a trabalhar na roça para ajudar meus pais no sustento da família.

Trabalhei muito e, te garanto, TRABALHO NÃO MATA NINGUEM ! Muito pelo contrário, faz bem ! Estudei na escola da zona rural, fiz Supletivo, estudei à distância e muito antes de ser jornalista e publicitária eu já era uma micro- empresária.
Didi, talvez você não tenha noção do quanto o GOVERNO FEDERAL tira do nosso suor para manter a saúde, a educação, a segurança e tudo o mais que o povo brasileiro precisa.

Os impostos são muito altos ! Sem falar dos Impostos embutidos em cada alimento e em cada produto ou serviço que preciso comprar para o sustento e sobrevivência da minha família.
Eu pago pela educação duas vezes : pago pela educação na escola pública, através dos impostos, e na escola particular, mensalmente, PORQUE SOMENTE A ESCOLA PÚBLICA NÃO ATENDE COM ENSINO DE QUALIDADE QUE, ACREDITO, MEUS DOIS FILHOS MERECEM !!!

Não acho louvável recorrer à sociedade para resolver um problema que nem deveria existir, pelo volume de dinheiro arrecadado em nome da educação e de tantos outros problemas sociais !
O que está acontecendo, meu caro Didi, é que os administradores dessa dinheirama toda não veêm aeducação como prioridade !

PARA ÊLES, A EDUCAÇÃO LHES RETIRA A SUBSERVIÊNCIA E ÊSSE FATO, POR SI SÓ, NÃO INTERESSA AOS POLÍTICOS QUE ESTÃO NO PODER. POR ISSO, O DINHEIRO ESTÁ SAINDO PELO RALO; ESTÃO JOGANDO FORA , OU APLICANDO MUITO MAL !!!

Para você ter uma idéia, na minha cidade cada alimentação de um presidiário custa para os cofres públicos R$ 3,82 (três reais e oitenta e dois centavos), enquanto que a merenda de uma criança na escola pública custa R$ 0,20 (vinte centavos) !!! O governo precisa rever suas prioridades, você não concorda ? Você pode ajudar a mudar isso ! Não acha ?
Você diz em sua carta que não dá para aceitar que um brasileiro se torne adulto sem compreender um texto simples ou conseguir fazer uma conta de matemática. Concordo com você !

É por isso que sua carta não deveria ser endereçada à minha pessoa. Deveria ser endereçada ao Presidente da República !!!

Ele é " o cara " !!! Êle é quem tem a chave do cofre e a vontade política para aplicar os recursos !

Eu e mais milhares de pessoas só colocamos o dinheiro lá para que ele faça o que for correto e necessário para melhorar a qualidade de vida das pessoas do país, sem nenhum tipo de distinção ou discriminação. MAS, NÃO É O QUE ACONTECE !!!
No último parágrafo da sua carta, você joga, mais uma vez, a responsabilidade para cima de mim, dizendo que as crianças precisam da "minha doação" e que a "minha doação" faz toda a diferença...

Lamento discordar de você, Didi !!! Com o valor da doação mínima de R$ 15,00(quinze reais) eu posso comprar 12 quilos de arroz para alimentar minha família por um mês, ou posso comprar pão para o café da manhã para 10 dias..... !!!
Didi, você pode até me chamar de muquirana, não me importo, mas, R$ 15,00(quinze reais) eu não vou doar !Minha doação mensal já é muito grande. Se você não sabe, eu faço doações mensais de 27,5% de tudo o que ganho !!!

Isso significa que o governo leva mais de um terço de tudo que eu recebo e posso te garantir que essa grana, se ficasse comigo, seria muito melhor aplicada na qualidade de vida da minha família !
Você sabia que para pagar os impostos eu tenho que dizer NÃO para quase tudo que meus filhos querem ou precisam ? Meu filho de 12 anos quer praticar tênis e eu não posso pagar as aulas que são caras demais para nosso padrão de vida. Você acha isso justo ? Acredito que não. Você é um homem de bom-senso e saberá entender os meus motivos para não colaborar com sua campanha pela educação brasileira.

Outra coisa Didi, MANDE UMA CARTA PARA A PRESIDENTE "DILMA" pedindo para ela selecionar melhor os ministros e também os professores das escolas públicas ! Só escolher quem, de fato, tem vocação para ser ministro e para o ensino.

Melhorar os salários daqueles profissionais também funciona para que êles tomem gosto pela profissão e vistam, de fato, a camisa da educação ! Peça para ela, também, fazer escolas de horário integral, escolas em que as crianças possam, além de ler, escrever e fazer contas, possam desenvolver dons artísticos, esportivos e habilidades profissionais. Dinheiro para isso está sobrando sim ! Diga para ela priorizar a educação e utilizar melhor os recursos.
Bem, você assina suas cartas com o pomposo título de Embaixador Especial do Unicef para Crianças Brasileiras e eu vou me despedindo assinando... Eliane Sinhasique - Mantenedora Principal dos Dois Filhos que Pari !!!

P.S.: Não me mande outra carta pedindo dinheiro. Se você mandar, serei obrigada a ser mal-educada: vou rasgá-la antes de abrir.

PS2* Aos otários que doaram para o criança esperança, fiquem sabendo : AS ORGANIZAÇÕES GLOBO ENTREGAM TODO O DINHEIRO ARRECADADO À UNICEF E RECEBEM UM RECIBO DO VALOR PARA DEDUÇÃO DO SEU IMPOSTO DE RENDA !!!

Para vocês a Rede Globo anuncia: essa doação não poderá ser deduzida do seu imposto de renda !
PORQUÊ É ELA QUEM O FAZ !!!
PS3* E O DINHEIRO DA CPMF QUE PAGAMOS DURANTE 11(ONZE) ANOS?
MELHOROU ALGUMA COISA NA EDUCAÇÃO E NA SAÚDE DURANTE ESSES ANOS?

BRASILEIROS PATRIOTAS (e feitos de idiotas) !!!DIVULGUEM ESSA REVOLTA....

isto deveria chegar a Brasilia, não acha ???



quinta-feira, 25 de agosto de 2011

2Pe 3.9 - Deus quer salvar a todos?



"O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se" (2Pe 3:9).

Freqüentemente quando uma pessoa ouve um sermão sobre a doutrina da eleição pela primeira vez, ela pergunta: "Mas, que tal 2Pe 3:9?"

Aquele que faz essa pergunta pensa que todos os versículos sobre a eleição são respondidos e silenciados por este versículo. O versículo é tão popular quanto difícil. É difícil para muitos aceitarem o fato Bíblico de Deus "ter elegido desde o princípio" alguns "para a salvação" (2Te 2:13). Para algumas pessoas parece impossível aceitar este versículo (2Te 2:13) e harmonizá-lo com 2Pe 3:9.

A Bíblia realmente é harmoniosa e 2Pe 3:9 harmoniza-se com 2Te 2:13; Ef 1:4, 5; Jo 6:37 e incontáveis versículos. Pedro escreveu "que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação" (2Pe 1:20). A Escritura deve ser harmonizada. Ninguém deve colocar Escritura contra Escritura.

O escritor pede ao leitor para se unir a esta procura pela harmonia da Palavra de Deus. Isto necessita o mínimo de preconceito possível. Harmonizar estas supostas contradições requer oração, a direção do Espírito Santo e um desejo sincero para aprender o seu verdadeiro significado sem perverter qualquer porção da Palavra Santa de Deus.

O PROBLEMA CENTRA-SE EM "TODOS"

As palavras que geram polêmica no texto (2Pe 3:9) são: "todos", "alguns", "conosco", e "querendo". A maior polêmica concentra-se na palavra "todos", daí ser necessário investigar o seu significado.

UM ESTUDO SOBRE A PALAVRA "TUDO" E "TODOS"

A palavra "todos" é traduzida do grego PAS. Thayer, um lexicógrafo renomado, diz que a palavra significa "todos de um grupo particular" ou "um número". A situação em que uma palavra como essa está sendo considerada determinará as particularidades do seu significado.

Considere a palavra "tudo" como ela é usada em At 1:1. Lucas declara que no seu tratado anterior (O Evangelho de Lucas) ele tinha escrito "de tudo que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar."

Lucas quis dizer que no seu relatório sobre o ministério de Cristo ele tinha mencionado tudo o que aquele Jesus começou a fazer e a ensinar? Se a pessoa interpreta este versículo como muitos insistem que devemos interpretar 2Pe 3:9 temos que concluir que Lucas trata de tudo, cada coisa, sem exceção de nenhuma, que Jesus começou a fazer e a ensinar.

Se tudo quer dizer cada coisa sem exceção em At 1:1, temos que perguntar-nos por quê Lucas se negligenciou mencionar tantas coisas feitas por Jesus. Por exemplo, ninguém duvidará que o primeiro milagre feito por Jesus foi muito importante. "Jesus principiou assim os seus sinais em Cana de Galiléia, e manifestou a sua glória" (Jo 2:11). Mesmo quando Lucas declara que ele escreveu "de tudo que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar" ele não faz nenhuma menção deste primeiro sinal, este sinal com o qual Jesus "principiou" os seus sinais.

Logo após o seu primeiro milagre, Jesus assistiu a sua primeira Páscoa durante o seu ministério pessoal (Jo 2:13-25). Lucas não menciona este evento importante. De fato, Lucas não menciona a segunda Páscoa assistida por Jesus durante o seu ministério pessoal (Jo 5:1). Somente a terceira Páscoa é mencionada por Lucas. Nesta ocasião Cristo foi crucificado.

Todos têm que concordar que o dialogo com Nicodemos foi um evento muito importante durante o ministério de Cristo. Neste grande dialogo inclui-se a importância e a necessidade absoluta do novo nascimento. Também inclui-se Jo 3:16, aquele versículo que a maioria das crianças que vão para igreja aprendam desde cedo a citar. Contudo, Lucas não faz nenhuma menção a este assunto que é extremamente importante, embora ele dissesse que ele escreveu de tudo aquilo que Jesus "começou a fazer e a ensinar."

Outros eventos não mencionados por Lucas são:

1. a cura do filho do homem nobre (Jo 4:46-54).

2. o encontro com a mulher Samaritana (Jo 4:1-45).

3. a cura do homem no tanque de Betesda (Jo 5:2-9).

4. Jesus ter andado sobre as águas (Jo 6:15-21).

5. Jesus ter ressuscitado Lázaro (Jo 11).

Lucas mentiu?

Quando Lucas declarou que o seu primeiro tratado foi um relatório "de tudo que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar" (At 1:1) ele mentiu? Ele quis dizer que somente o seu relatório acerca do ministério de Cristo era correto? Como pôde ele dizer "cada coisa sem exceção de nenhuma" quando João escreveu: "Há porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevesse. Amem." (Jo 21:25)?

Lucas usou a palavra tudo com o significado "um grande número". Ele realmente contou um grande número das coisas "que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar" mas se fossem escritas "cada coisa sem exceção de nenhuma" "nem ainda o mundo todo poderia conter os livros" que Lucas teria escrito. Está claro que Lucas e o Espírito Santo, que o inspirou a escrever At 1:1, não pretendiam que os leitores tomassem a palavra "tudo" com o significado de "cada coisa em detalhe" ou "a totalidade" de "tudo que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar".

A palavra toda também se encontra em Mt 3:5-6. "Então ir ter com ele Jerusalém, e toda a Judéia, e toda a província adjacente ao Jordão; e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados". A frase "toda a Judéia" quer dizer que cada habitante da Judéia foi batizado por João no rio Jordão? A frase "toda a província adjacente ao Jordão" inclui a "totalidade" dos habitantes da região próxima ao rio Jordão? Marcos diz: "toda a província da Judéia e os de Jerusalém iam ter com ele; e todos eram batizados por ele no rio Jordão" (Mc 1:5). De fato Jerusalém faz parte da Judéia e é logicamente claro que toda a Jerusalém seria incluída em "toda a Judéia". Mateus, Marcos e o Espírito Santo pretendem que nós acreditemos que cada homem, cada mulher, cada menino, cada menina e cada criança lactante iam ter com João, confessando os seus pecados, e eram batizados por ele no rio Jordão?

Dr. Albert Barnes escreveu: "Toda da Judéia. Muitas pessoas da Judéia, não significa que todas as pessoas literalmente foram, mas grandes multidões" (anotações de Barnes, Matthew and Mark, 1964, página 25). Das frases "todos de Jerusalém", "toda a Judéia" e "toda a província adjacente ao Jordão" João Gill comentou que significam "um número muito grande deles; um grande número das pessoas de todas as partes da região. Toda, aqui, vale a "muitos" (Gills Commentary, Vol. 5, 1980; pág. 17).

Aquele que insiste que a palavra "toda", nas Escrituras, quer dizer "todos em totalidade", sem excluir absolutamente ninguém, tem que aceitar o batismo de crianças ou tem que fazer o argumento prepóstero e absurdo de que não havia nenhum bebê em todo daquele país. O Senhor nos proíbe essa tolice absurda!

Através dos versículos em que João recusou o batismo aos "muitos dos Fariseus e Saduceus" daquela região e que vinham ao seu encontro, entende-se que esse argumento é absurdo. As palavras "toda" em Mateus 3:5-6 devem ser interpretadas como "um grande número" ou "muitos". Não pode ser interpretada com raciocínio bíblico, significando "a totalidade" das pessoas daquela área.

Considere a promessa de Deus dada em Joel 2:28-29 e cumprida em Atos 2. No versículo 17, de Atos 2, Lucas registra a citação de Pedro acerca da promessa de Deus assim: "Que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne". Deus quis dizer a totalidade de toda e qualquer carne? Deus quis dizer a carne dos homens, a carne dos peixes, a carne das aves e a carne dos animais (1Co. 15:39)? Quis Deus dizer cada homem, menino, mulher e menina desde a mais jovem até a mais velha? Ele se referia a todo e qualquer bode, babuíno, urubu e sardinha? O mundo dos não Cristãos não pode receber o Espírito. "O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita com vós, e estará em vós." (João 14:17). Essa promessa se limita significativamente a aqueles que Deus chama à salvação. "Porque a promessa vos diz a respeito a vós, a vossos filhos, e a todos que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar" (Atos 2:39).

É muito evidente que a palavra "toda" nos versículos 17 e 39, de Atos 2, tem aplicação limitada. É limitada aos Cristãos. É limitada "a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar" e "vede irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados." (1Co 1:26). A frase "toda a carne", de Atos 2:17, é limitada aos "que são chamados" (1Co 1:24). A promessa mencionada no versículo não aponta aos judeus que vêem o Cristo crucificado como um"escândalo ", ou para os gregos (Gentios), que vêem o Cristo crucificado como "loucura" (1Co:23). A promessa é "para os que são chamados, tanto judeus como gregos" que vêem "Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus" (1Co 1:24). Por favor lembre-se que esse é um caso onde a palavra "toda", de fato, refere-se à uma porcentagem pequena da totalidade da carne do homem, de ave, de peixe e de animais. Aqui, a frase "toda a carne" se refere a todos daqueles que fazem parte de uma classe ou grupo em particular ! todos os Cristãos, todos os chamados.

Uma Determinação Necessária

Deve ser determinado agora se as palavras "todos" e "alguns", em 2Pe 3:9, fazem referência a todas as pessoas do mundo em sua totalidade absoluta, sem uma única exceção. A palavra "todos" inclui aqueles homens "que já antes estavam escritos para este mesmo juízo" e aqueles "como animais irracionais, que seguem a natureza, feitos para serem presos e mortos" (Jd 4; 2Pe 2: 12)? A palavra "todos" inclui"os vasos da ira, preparados para a perdição" como também os "vasos de misericórdia, que para glória já dantes preparou" (Rm 9:22,23)? Deve determinar se a palavra "conosco", para quem Deus está longânimo, quer dizer cada pessoa que está no mundo ou a uma classe ou grupo particular de pessoas?



O TEXTO DEVE SER CONSIDERADO COM O CONTEXTO EM QUE ELE É REVELADO NAS ESCRITURAS

Paulo declara que Deus "faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade;" (Ef 1:11). É verdade? Considerando que Deus faz todas as coisas segundo o conselho da sua vontade, segue-se que se ele não está querendo que ninguém da raça humana se perca, ninguem perecerá.

Deus enviou Nabucodonosor para o Seminário da Loucura. Deus fez que ele se matriculasse naquela instituição até que conhecesse "que o Altíssimo domina sobre o reino dos homens, e o dá a quem quer" (Dn 4:32). Por sete anos ele era o único estudante desta grande escola do deserto. Ele dormiu com as bestas; seu jantar era grama junto o dos bois; o seu banho era o orvalho do céu; o cabelo dele cresceu como as penas das águias; as suas unhas eram como garras de um pássaro (Dn. 4:25, 32-33). Ao término dos sete anos de treinamento intensivo, Nabucodonosor formou-se no Seminário da Loucura com o Grau distinto D.E.S (Deus É Soberano). Sendo o único estudante a se formar, Nabucodonosor foi convidado a ser o paraninfo. Essa palestra foi registrada na Palavra de Deus em Dn 4:30-37 confirmando, assim, a verdade para sempre.

Uma das declarações significantes de Nabucodonosor expôs a natureza invencível da vontade de Deus. Acerca dessa vontade de Deus ele disse: "e segundo a sua vontade ele opera com o exercito do céu e os moradores da terra; não há quem possa estorvar a sua mão, e lhe diga: Que fazes?" (Dn 4:35).

De acordo com a verdade desta declaração, sobre a vontade invencível de Deus, faz-se necessário uma aplicação limitada à palavra "todos" em 2Pe 3:9. Há uma alternativa que uni-se àquelas que ensinam a salvação universal de todos os homens. Se Deus quer a salvação de qualquer pessoa do mundo, e age de acordo com a sua vontade entre os habitantes da terra, então "todas" serão salvas, a menos que a palavra "todos" tenha uma aplicação limitada em 2Pe 3:9, como tem em At 2:17 e nos outros versículos citados. Que tal 2Pe 3:9 em consideração à vontade invencível de Deus?

Complicando o problema ainda mais para aqueles que crêem que 2Pe 3:9 ensina que é o prazer e a vontade de Deus de salvar toda e qualquer pessoa do mundo são as declarações de Davi achadas em Sl 115:3 e Sl 135:6. Na primeira referência Davi declara: "Mas o nosso Deus está nos céus: fez tudo o que lhe agradou". Na segunda referência Davi disse: "Tudo o que o SENHOR quis, fez, nos céus e na terra, nos mares e em todos os abismos." Adiciono a declaração inequívoca e explícita de Deus relativa à realização do seu querer: "O meu conselho será firme, e farei toda a minha vontade ... porque assim o disse, e assim o farei vir; eu o formei, e também o farei." (Is 46:10,11).

Se é o desejo de Deus salvar qualquer pecador desde o mais jovem até o mais velho existente no mundo sendo cada membro da raça humana, Ele fará exatamente isto, pois "o nosso Deus está nos céus: fez tudo o que lhe agradou".

Se é a vontade de Deus salvar cada representante da posteridade caída de Adão, então, cada um será salvo, pois Deus declarou explicitamente: "farei toda a minha vontade".

Não há nenhum ponto da criação de Deus que isenta a operação completa da sua vontade, pois: "Tudo o que o SENHOR quis, fez, nos céus e na terra, nos mares e em todos os abismos."

Que tal 2Pe 3:9 contextualizado com a vontade realizada de Deus? Ela ensina a salvação universal ou a certeza da salvação de todos de um grupo particular - o eleito (1Pe 1:2)? Se for concluído que as palavras"conosco", "alguns" e "todos" neste versículo (2Pe 3:9) são universais e incluem a totalidade do gênero humano deduz-se então que todo o gênero humano será salvo. Considere os seguintes silogismos. Em qual se enquadra a posição da sua doutrina?

Primeiro Silogismo

Premissa principal: É o desejo de Deus salvar cada pessoa do gênero humano de acordo com 2Pe 3:9.

Premissa secundária: Deus fará a Sua vontade de acordo com Is. 46:10-11; Sl 115:13; e Sl 135:6.

Conclusão: Todo ser da raça humana será salvo.

Segundo Silogismo

Premissa principal: É o desejo de Deus salvar todos os eleitos de acordo com 2Pe 3:9.

Premissa secundária: Deus fará a vontade de acordo com Is. 46:10-11; Sl 115:3, e Sl 136:6.

Conclusão: Todos os eleitos serão salvos.

A premissa principal em um destes silogismos é falaciosa; por isso obtêm-se uma conclusão falaciosa. As Escrituras ensinam claramente que todo o gênero humano não será salvo, pois "quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicários, e aos feiticeiros, e aos idolatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte." (Ap 21:8). Também, "Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus." (Sl 9:17). Mais uma vez: "E aquele que não foi achado escrito no livro de vida foi lançado no lago de fogo" (Ap 20:15). A premissa principal do primeiro silogismo é falsa, então a sua conclusão também é falsa. A premissa principal do segundo silogismo é verdadeira e a sua conclusão também é verdadeira. A idéia de que as palavras "conosco", "alguns" e "todos" em 2Pe 3:9 se referem aos eleitos é consistente. Conclui-se que todos os eleitos serão salvos. Serão mesmo? Jesus disse: "Todo o que o Pai me dá virá a mim" (Jo 6:37). Ele também disse que as suas ovelhas perdidas que não eram Judias: "também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz" (Jo 10:16). Lucas escreveu sobre os Gentios que foram ordenados à vida eterna aos quais Paulo pregou em Antioquia da Pisídia. Daqueles que o ouviram, alguns foram ordenados à vida eterna, creram. At 13:48, "E os gentios, ouvindo isto alegraram-se, e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna."

Ainda mais, para determinar quem são aqueles apontados pelas palavras "conosco", "alguns" e "todos" de 2Pe 3:9:


O VERSÍCULO DEVE SER CONSIDERADO DE ACORDO COM O SEU CONTEXTO

As palavras "conosco", "alguns" e "todos" de 2Pe 3:9 evidentemente referem-se às mesmas pessoas. "O Senhor ... é longânimo para conosco, não querendo que alguns (de nós) se percam, senão que todos (de nós) venham a arrepender-se". De quem Pedro está falando? É claro que no primeiro versículo ele está escrevendo aos mesmos da sua primeira epístola. "Amados, escrevo-vos agora esta segunda carta" (2Pe 3:1). Na sua primeira epístola ele os chama "Eleitos segundo a presciência (conhecimento prévio) de Deus Pai" (1Pe 1:2). A mesma palavra de At 2:23, ou seja, "de Deus Pai" (1Pe 1:2).

Deus agiu para com estes, como também agiu para com Pedro, e os "gerou de novo para uma viva esperança" (1Pe 1:3). Estas são as pessoas que têm "uma herança incorruptível, incontaminável, e que não se pode murchar, guardada nos céus para vós, ... guardados na virtude de Deus" (1Pe 1:4,5). Essa herança reservada eles obtiveram "havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade" (Ef 1:11). A fé qual Pedro menciona no versículo 5 é chamada por Paulo "a fé dos eleitos de Deus" (Tt 1:1). Pedro se refere a ela como a "fé igualmente preciosa" (2Pe 1:1), obtida "pela justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo".

Pedro também relaciona as palavras "conosco", "alguns" e "todos", em 2Pe 3:9, às pessoas a quem Deus"deu tudo o que diz respeito à vida e piedade" (2Pe 1:3). Pedro diz que Deus "nos deu" estas coisas e que Ele "nos chamou pela sua glória e virtude" (2Pe 1:3). Ele também "nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas" (v. 4). Ele nos fez "participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo." (v. 4). Estes mesmos irmãos têm tanto uma "chamada" quanto uma "eleição" das quais eles podem ser assegurados (2Pe 1:10).

Não é claro que o "nos" de 2Pe 1:1, 3, 4 é entendido como "conosco" de 2Pe 3:9 para quais Deus é longânimo "não querendo que alguns (de nós) se percam, senão que todos (de nós) venham a arrepender-se"?

Que tal 2Pe 3:9 quando é examinado na luz de seu contexto? Que 2Pe 3:9 se refere ao eleito é substanciado ainda mais quando


O VERSÍCULO SE HARMONIZA COM OUTRAS ESCRITURAS RELATIVAS AOS ELEITOS

Certamente Jesus "salvará" o seu povo dos seus pecados. E quando todos do seu povo vierem a ele, nunca os expulsarão porque ele não quer que ninguém que faça parte daquele povo pereça. 2Pe 3:9 se harmoniza perfeitamente com Mt 1:21.

Quem é "o Seu povo" que Ele "salvará", porque Ele não quer que alguns se percam? É aquele a quem Ele mesmo deu a vida eterna. "Assim como lhe deste poder sobre toda a carne, para que dê a vida eterna a todos quantos lhe deste." (Jo 17:2).

Ele declarou ao Pai: "Manifestei o teu nome aos homens que do mundo me deste; eram teus, e tu mos deste" (Jo 17:6). Outra vez ele disse: "não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. E todas as minhas coisas são tuas, e as tuas coisas são minhas; e nisso sou glorificado ... Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste" (Jo 17:9-11). "Pai, aquele que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo" (Jo 17:24).

Cristo deu a vida eterna àqueles que o Pai Lhe deu em resposta a oração de Cristo, o Pai os guarda porque Cristo falou: "os tens amados a eles como me tens amado a mim" e Deus amou a Cristo "antes da fundação do mundo" (Jo 17:23,24). Aqueles que estão em Cristo um dia estarão com Ele onde Ele está e verão a Sua glória. Ele não pediu estas coisas pelo mundo inteiro mas por aqueles quem o Pai Lhe deu (v. 9). A sua oração não se limita aos salvos que estavam com Ele naquele momento mas aos outros, que o Pai Lhe tinha dado e, segundo as palavras de Cristo: "que pela sua palavras hão de crer em mim" (Jo 17:20).

Que tal 2Pe 3:9 na luz da certeza da salvação daquelas pessoas que Deus deu a Cristo tendo em vista a salvação? Ele não quer que os seus se percam. Todos esses virão a ele, e nenhum será lançado fora ou perecerá.

Em conclusão consideraremos:


O VERDADEIRO SIGNIFICADO DE 2Pe 3:9 HARMONIZADO COM SEU CONTEXTO, A VONTADE DE DEUS E AS ESCRITURAS NUM TODO

Depois de harmonizar 2Pe 3:9 de várias maneiras fica evidente que as palavras "conosco", "alguns" e "todos" (de 2Pe 3:9) se referem a todos de um grupo específico de pessoas e não a todo o gênero humano na sua totalidade. 2Pe 3:9 ensina que Deus é longânimo, paciente e bondoso no Seu tratamento com as Suas ovelhas, Seus eleitos, que Ele deu a Cristo e quem Cristo "salvará dos seus pecados". 2Pe 3:9 ensina que Deus não quer que nenhuma ovelha de Cristo pereça, mas que todas venham ao arrependimento. Cristo irá em busca da ovelha perdida até que venha a acha-la (Lc 15:4) e achando-a, ele a porá sobre os seus ombros e a trará ao Seu lar, de forma que ela não pereça (Lc 15:5).

2Pe 3:9 ensina que todas as ovelhas perdidas de Cristo ouvirão a Sua voz, virão a ele, e entrarão no Seu aprisco (Jo 10:16). 2Pe 3:9 ensina que todas as suas ovelhas virão a Ele e Ele lhes dará a vida eterna, porque Deus não quer que nenhuma pereça.

Em resumo 2Pe 3:9 não é dirigido ao mundo perdido mas aos santos, para a sua segurança e a certeza da salvação de toda pessoa "co-eleita" em conjunto (1Pe 5:13).


UMA PALAVRA PARA OS PERDIDOS

Se você vier a Cristo, pelo arrependimento e fé, você também pode ter a garantia proporcionada por 2Pe 3:9. Deus te tratará como um Pai amoroso trata um filho comprado pelo Seu sangue precioso. Ele não permitirá que você pereça ou seja arrebatado das Suas mãos (Jo 10:27-29). Ele é o Bom Pastor que encontra cada uma das suas ovelhas perdidas, tirando-as do charco de lodo do pecado, e as coloca sobre os seus ombros e leva-as para casa.

Deus se agrada em te dar a fé dos Seus eleitos (Tt 1:1). Que os já salvos sejam como Paulo, que disse: "tudo sofro por amor dos escolhidos, para que também eles alcancem a salvação que está em Cristo Jesus com glória eterna." (2Tm 2:10).

Autor: Pr Wayne Camp

domingo, 7 de agosto de 2011

A arte de enterrar o passado



Na história de uma vida há coisas que podem ser realmente muito inconveniente. Uma das coisas que ponho nessa categoria é um passado iô-iô/boomerangue, que insiste em voltar. Já ouvi de várias pessoas afirmando que acontecimentos que nos trouxeram sofrimento no passado, não devem ser esquecidos, dizem que devemos aprender a conviver com eles. Concordo e discordo.


Penso que toda experiência, por pior que  tenha sido, traz com sigo lição ou lições pra toda vida, e uma pessoa em estado normal de consciência e sem grandes recursos acadêmicos consegue facilmente aprendê-las. De modo geral, as decepções tornam-se imensos desertos de tristeza e provável amargura. Entretanto, podem ser profícuas fontes de inspiração e ânimo, o "gás" da volta por cima!


O mundo das artes deve muito ao "fundo do poço" de vários compositores, dançarinos, artistas plásticos, escritóres e afins. A gama de pessoas que podem contribuir positivamente por causa do sofrimento é interminável. Um bom exemplo disso está nessa incrível letra de Ivan Lins*, um dos compositores e interpretes por quem tenho grande admiração:


Começar de novo e contar comigo
Vai valer a pena ter amanhecido
Ter me rebelado, ter me debatido
Ter me machucado, ter sobrevivido
Ter virado a mesa, ter me conhecido
Ter virado o barco, ter me socorrido
Começar de novo e só contar comigo
Vai valer a pena ter amanhecido
Sem as tuas garras sempre tão seguras
Sem o teu fantasma, sem tua moldura
Sem tuas escoras, sem o teu domínio
Sem tuas esporas, sem o teu fascínio
Começar de novo e só contar comigo
Vai valer a pena já ter te esquecido


A canção fala claramente de decepção amorosa e a auto-estima. Não me convém aqui conjecturar sobre a "musa inspiradora" da letra, cada um com seu cada um! Mas num episódio recente, guardada as devidas proporções e fatos, me identifiquei. Fico imaginando quanto outros foram de certa forma beneficiados pela "fossa" do compositor. Pois bem, o que me chamou a atenção na composição foi justamente a última frase: "Vai valer a pena já ter te esquecido". Não exclusivamente pelo fato de esquecer alguém, mas foquei no esquecer, esquecer qualquer coisa que não vale a pena ser lembrado. Assim concluo que precisa-se "enterrar o defunto", "virar a página", etc.   

Me lembro imediatamente da carta de Paulo aos Filipenses, no terceiro capítulo versos 13 e 16. Antes de começar, alerto os exegetas de plantão que não estou aqui promovendo distorções do Texto Sagrado ou forçando-o até que diga o que quero dizer. Não! Veementemente, NÃO! Apenas aplico o princípio exposto de que o antigo, a "cangalha", o peso deve dar lugar ao melhor, ao superior!   

É claro que o apóstolo de verdade, Paulo,  depois de apresentar credenciais que fariam qualquer judeu da época suspirar, ao mesmo tempo considera todo o passado como refugo, cocô mesmo, justamente por Cristo. O grande missionário, filósofo e teólogo refere-se à vocação ministerial, que é superior a qualquer empreendimento, tanto por sua importância, quanto pela urgência. O irmão Paulo compreendeu que para ser efetivo na Carreira que lhe foi proposta o passado de judeu ortodoxo deveria ser refugado. Ele teria olhos apenas para o futuro, sem contudo, desconsiderar a lições aprendidas.


Perolação:
* Devo aproveitar o passado, mas não revivê-lo;
* Se aprendi alguma lição, esta constitui o chão que me calca os pés; 
* O alvo é mais importante;




Conheço gente que guarda amarguras há anos, que veladamente alimenta "zumbis". Esses dificilmente conseguirão viver integralmente, pois precisam alimentar "um parasita" que suga suas forças e vitalidade. Se você realmente deseja uma vida livre de "presuntos ambulantes", é bom que perdoe o ofensor, entregue tua mágoa a Deus e aprenda uma das artes mais importantes na vida do ser pensante, a arte de enterrar o passado!


Que o Senhor nos ajude!  


* Em parceria com Vitor Martins. 

sábado, 6 de agosto de 2011

Profeta do Telhado de "roupinha" nova!


Pensando nas quase 3000 visualizações alcançadas em 6 meses do blog, quase 500 por mês, resolvi cuidar um pouco melhor dele. Começo mudando o layout (a roupinha). Creio que agora está mais fácil e organizado. Algumas novidades (gedgets) são facilmente notadas. Em breve teremos uma bem legal, é o espaço onde você dá sugestões quanto ao que quer ler aqui no "telhado". Bom, por enquanto é isso!
Espero que tenham gostado.
Compartilhe, ajude na divulgação, leve o que você leu aqui a mais e mais pessoas!
Que o Senhor os abençoe...
Em Cristo Jesus, Senhor nosso e da Igreja,
Max Gama (O cara do telhado)