terça-feira, 5 de julho de 2011

Como arrancar o dinheiro dos fiéis? A IURD ensina!

Atualmente, pouquíssimas situações me assustam no "evangelicalismo brasileiro". As práticas cada vez mais estranhas ao Verdadeiro Evangelho, crendices com cara de piedade e coisas do tipo indicam que vivemos uma era sem precedentes, o que chamo de "coisificação" do Evangelho. Neste pensamento incluo tudo o que torna o nome de Cristo comum. Novas roupagens, gradativamente tiram a beleza da pregação, descaracterizando-a à palestras de auto-ajuda e massagens de ego, e esse cada vez mais inchado com a falácia dos "super-crentes", moldam a cara do "crente" tupiniquim.

Somado a isso, temos o que chamo de detentores da "agenda divina". Os que marcam a hora e o local para que Deus abençoe o aflito. O que me perturba os pensamentos nisso tudo é o grau de canalhice envolvida. Deus, nesse caso, um deuzinho, um demiurgo ou um serviçal, fica obrigado a cumprir a agenda do seu senhor, o que possui a "agenda celestial". O chamariz é muito eficiente: "VOCÊ QUE SOFRE COM (todo tipo de aflição humana), VENHA, NÃO IMPORTA A SUA RELIGIÃO, VENHA QUE deus VAI TE ABENÇOAR." Aí, é claro, há um suposto "testemunho" de alguém que teria perdido tudo e que depois frequentar a promovida reunião, foi abençoado. A benção? Moleza! Casa, carro, dinheiro, felicidade, tudo o que o coração do homem deseja. Na dia e momento em que desejar, afinal, "a mão do demiurgo está lá". 
O que não pode ser esquecido é o fato de não haver necessidade de arrependimento, o pecado nunca é abordado, afinal, não é inteligente chamar o "cliente" de culpado ou pecador. Nisso eles são "espertos"!
Todos sabemos que tudo isso não passa de engodo, um atrativo, uma isca para o objetivo maior, O BOLSO DO COITADO QUE SE DEIXA ENGANAR!

Antes de mais alguma coisa leiamos a origem e definição de uma palavra muito importante para que entendamos a dinâmica da exploração financeira em nome de um deus que dá tudo, mas não salva do inferno.    

Charlatanismo é a prática do charlatão, palavra que deriva do italiano ciarlatano, que seria, segundo alguns, corruptela de cerretano (ou seja, natural de ou oriundo de Cerreto, vila situada na Umbria, Itália), e segundo a maioria, derivada de ciarla, ciarlare (de "falar", "conversar", neste caso seria equivalente, em português, a "parlapatão" – pois denota o uso da palavra para ludibriar outrem. Em outros idiomas o charlatanismo adquire a acepção de exercício ilegal da medicina, ao passo que em português tem significado comum de vendedor de substâncias pretensamente medicinais, curativas, que apregoa com vantagens, daí a nome curandeirismo.
Em sentido geral e vulgar, portanto, os termos charlatanismo e curandeirismo fundem-se e podem ser definidos como toda prática pseudocientífica, apregoada por alguém com vantagens fraudulentas, pecuniárias ou não, ludibriando a outros – isso é, oferecendo algo vantajoso sem realmente ser. O termo inglês quack poderia então ser traduzido como curandeiro.

Essa é a dinâmica que oferece tudo, menos o que realmente importa, a salvação do inferno. Sei que vida com Deus é foro íntimo, mas não tenho nenhum problema em desconfiar dessa corja. 


Creio que esse povo usa uma nova versão parafraseada de "Do que adianta ganhar o mundo inteiro e perder a própria alma?" - Segundo a tal versão, o versículo ficaria assim: "Do que adianta ser crente se não for rico e ter saúde 100%?" Fico imaginando o que eles fazem com os textos bíblicos que falam de crescimento via sofrimento. Devem esconder nas "cuecas da prosperidade"! (hehehehehe)


Isso não é exclusividade da IURD não, o falastrão do Valdomiro lançou o TRÍZIMO, isso mesmo, 10% x 3= 30% do salário. O argumento foi o seguinte: "representação das pessoas da Trindade", 10% pra cada um!  Chupa essa manga!

Os videos abaixo mostram um "wokshop" de como extorquir em nome da fé. Para os críticos de plantão, preste bastantem atenção, NÃO ME IMPORTO COM O QUE PENSA SOBRE MIM. O que faço, faço com a consciência limpa, certo de que prestarei contas ao Eterno Deus que a mim confiou o Ministério Sagrado. De modo que, se minto, invento ou omito, o problema e MEU, acertarei as contas com Deus. Porém, se o que digo aqui procede, em Cristo sou inculpável e o problema é todo SEU!  

Aos demais, que desde o início deste blog me acompanham, orem ao Senhor para que muitos sejam libertos dessas quadrilhas "golspel" (quem lê entenda). Mostrem esses videos em suas igrejas, alertem o povo e exponham sem dó. Não fique de braços cruzados. É por causa desses imundos que você e eu levamos nome de trouxas por dizímar fielmente ou no caso de líder, fama de roubar aos fieis.

Que o Espírito Santo abra o entendimento dos ludibriados! 
Fazendo minhas as palavras do tal Pe. Kevedo: Isto é charlataniiiiiismóóó! 

Parte 1



Parte 2

Um comentário:

Waldir disse...

Parabéns por denunciar e não deixar cair no esquecimento esses absurdos que denigrem todo o cristianismo.