sábado, 24 de setembro de 2011

A lenda da liberdade humana

Vivemos numa sociedade puramente egocêntrica, onde é bonito falar que não tem do que se arrepender. É comum à algumas "personalidades" questionadas sobre algum arrependimento na vida, a seguinte resposta: "Só me arrependo do que não fiz!". São louvados e seguidos em seu "discurso livre" e geralmente citam algo que não conhecem o significado, a total liberdade humana, ou a lenda do "Livre Arbítrio". É precisamente aqui que entro!

 Vamos falar de liberdade?
 Farei uso de silogismo categórico regular, acompanhe:

O homem possui livre arbítrio.
Livre arbítrio é total liberdade de escolha.
Logo, o homem decide tudo livremente 


Parece lógico, mas é a maior conversa fiada que pode existir. A neuro ciência já desmontou o mito que muitos insistem em adotar como dogma e expressão de fé. Antes de prosseguir, veja a reportagem da "Super Interessante" - *"O Livre Arbítrio não existe".

Então, o resumo é o seguinte: antes mesmo de tomarmos alguma decisão "o nosso cérebro" nos engana e condiciona o que achamos decidir, baseado em informações já dispostas. A harmonia com o ensino bíblico reformado é espantosa. É claro que o resguardo das proporções evita a extensão disso para a "pré-queda". Mas é realmente impressionante!

Concordo com o relato científico e testes conclusivos, precisamos ter maturidade suficiente para tal. Afinal, não me parece inteligente demonizar a ciência quando essa desmonta mitos. Nossa busca é sempre pela verdade, não importa quem diga, desde que seja verdade.

Biblicamente falando, é necessário ter em conta dois períodos distintos que norteiam e limitam a extensão da liberdade humana, vejamos:

Pré-queda:
Antes da queda o homem era totalmente livre, não havia nele qualquer desejo interno, para o bem ou para o mal. Não havia qualquer inclinação subjetiva que o direcionasse ao acerto ou ao erro. Mas houve uma instrução clara, uma determinação de Deus para a obediência, e fazendo uso e sua liberdade, o homem escolheu a desobediência. Veio a queda!

Pós-queda:
Na queda as coisas mudam de figura, o homem não é mais livre para decidir, pois está marcado pelo pecado que permeia toda volição humana. Assim, toda a decisão passa antes por crivos e é tocada pelo pecado que habita o ser humano. Ele pode decidir sobre vários aspectos, qual cor de blusa ou calça usar, virar à direita ou à esquerda, comer maça ou pera, etc. Mesmo assim, está pré-disposto a uma preferência, da qual é subjetivamente prisioneiro. Mas, para questões morais, sempre lutará com a inclinação pecaminosa, pois é escravo cabal dela. Falando de bem espiritual, não há como decidir pelo que é bom, já que está morto espiritualmente.


Como a minha opinião não importa muito, na verdade, nada importa, olhemos para quem tem autoridade no assunto,  A BÍBLIA SAGRADA:


*Deus criou o homem livre, aqui sim havia livre arbítrio. 
E tomou o SENHOR Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar.
E ordenou o SENHOR Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente,
Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás. (Gênesis 2:15-17)


*A queda anulou o poder de vontade do ser humano quanto a qualquer bem espiritual.
Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia.
Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto, todo aquele que do Pai ouviu e aprendeu vem a mim. (João 6:44-45)



Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.                            (1 Coríntios 2:14)


E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados,
(Efésios 2:1)



Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos),
(Efésios 2:5)



Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros.
Mas quando apareceu a benignidade e amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens,
Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo 
(Tito 3:3-5)



* A Graça restaura parcialmente a liberdade do ser humano.
Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.
E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa.
De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim.
Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem.
Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço.
Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim.
Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo.
Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus;
Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. 
(Romanos 7:15-23)



Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. 
(1 João 1:8)



Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. 
(1 João 1:10)



* A vontade humana precisa ser submetida à direção do Espírito Santo
Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito.
Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz.
Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser.
Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.
Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele.
E, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da justiça.
E, se o Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita.

De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne.
Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis.
Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus.
Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.
O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. 
(Romanos 8:5-16)



Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.
Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.
Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei.
Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia,
Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias,
Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.
Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
Contra estas coisas não há lei.
E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências.
Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito.
(Gálatas 5:16-25)



De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor;
Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.
Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas;
Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo;
Retendo a palavra da vida, para que no dia de Cristo possa gloriar-me de não ter corrido nem trabalhado em vão.
(Filipenses 2:12-16)



*Somente na glória a vontade do ser humano será plena e livre.
Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos.
(1 João 3:2)



Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória,
Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém.
(Judas 1:24-25)



Hoje podemos dizer que homem tem escolhas, mas não são livres. Há sempre a pré-disposição e a preferência. Portanto, ainda que o ser humano tome decisões, essas nunca, jamais estão isentas de inclinações, sejam elas quais fores. Assim, dizer que possuímos livre arbítrio, principalmente quanto a bem espiritual é ignorar o básico, somos marcados por inclinações pecaminosas que nos traem e por elas jamais chegaríamos a qualquer conclusão boa quanto a Deus e a nós mesmos.

A única conclusão que o homem caído pode chegar sema interferência prévia de Deus é à aclamada popularmente e já citada anteriormente: "Só me arrependo do que não fiz!"


A grande questão aqui é egocêntrica... que o Senhor nos livre disso!


Nenhum comentário: