quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Síndrome de Peter Pan

Quem no mundo desconhece a história infantil do menino que vivia na "Terra do Nunca" com "Sininho", sua fadinha?
Diz o conto, que depois de grandes aventuras contra o "Capitão Gancho", depois de levar Wendy e seus irmãos de volta para casa, Peter é convidado por Wendy a ficar ali com eles. Como todos sabem Peter retornou para o lugar onde nunca cresceria, vivendo eternamente como criança.
Lembro-me das exortações de Paulo na primeira carta aos Coríntios. Os crentes daquela localidade, mesmo ouvindo sermões após sermões e tendo já um bom tempo de vivência na igreja, não atingiam a maturidade. Sinceramente, creio ser decepcionante ver quem poderia voar, engatinhando. Principalmente quando a indolência é voluntária.
De modo geral, acompanhamos uma infantilização de quase tudo. Os relacionamentos são tão frágeis quanto eram no início da adolescência. Tirando por mim, lembro-me de tanta gente desde que entrei para a escola, mas hoje, tenho contato com uns 6 daquele tempo. Notei também, que enquanto crescia, a qualidade dos relacionamentos melhorava e a maioria dos amigos que tenho hoje cultivei na adolescência. Enfim, a maturidade refina coisas boas. No entanto, não consigo entender pessoas com mais idade do que eu (34) agindo como crianças irresponsáveis. Homens que largam sua esposa e família, apenas para viver aventuras; mulheres que há muito passaram dos 30, vivendo como se tivesse 15 anos; Cônjuges que querem viver "livres" como solteiros; Pais que vivem como se não fossem; Jovens recusando-se a sair de uma adolescência que cronologicamente já foi faz tempo.
A crise observada pode refletir o medo do fim, o medo da morte. Peter Pan não queria envelhecer, ser responsável, ter filhos... e morrer! Inconscientemente, os que assim vivem, pretendem fazer o impossível e parar o tempo, evitando assim, o inevitável.
Sendo cidadão daqui e do céu, você tem crescido, há evidência de maturidade nos seus dias, ou sofres da "Síndrome de Peter Pan"?
Certamente deves conhecer pelo menos um caso desses. Compartilhe conosco para que possamos detectar em nós possíveis traços do referido mal!
Deus os abençoe!

Nenhum comentário: